Eleições/Luta de classes

O movimento #MulheresContraBolsonaro , os movimentos de junho de 2013 e o perigo de se repetir erros

O tal grupo  #MulheresContraBolsonaro cresceu rapidamente, arrastando a esquerda de roldão. Em junho de 2013, também um movimento supostamente por redução do preço das passagens afastou as bandeiras dos partidos e o que se viu foi o pontapé inicial do Golpe que se concretizaria em 2016 com a derrubada do Governo democraticamente eleito. Vão cair nesa esparrela de novo e seguir estranhas minorias que surgem “como por encanto” da internet, se transformam em mega eventos e exaltam o identitarismo, econdendo a Luta de Classes, razão pela qual o mal do fascismo que agora já esta entre nós?  A Luta de Classes existe. E até mesmo Bresser Pereira, Ministro Tucano de FHC nos lembra em artigo de 2015 que ela foi reativada pela burguesia  em 2013 no Brasil, encerrando o pacto existente até então. Tem gente que até agora não entendeu bem o que foi 2013. Só espero que as nossas direções convençam a base militante feminina de que as bandeiras partidárias são o símbolo maior da Classe Trabalhadora em luta e não há nenhum movimento por mais forte que seja que possa superar o papel da Classe Trabalhadora na Luta de Classes. Toda vez que a esquerda foi buscar substitutos ou se dividiu, as tragédias aconteceram.  Então, se é para ir as ruas, que seja com bandeiras que unificam a Classe: #LulaLivre contra o Golpe. E que seja bem vermelha, pra se misturar mas não confundir com as outras que também devem estar lá.

MulheresContraBolsonaro

Aliás, tentaram me convencer de que o tal Grupo foi hackeado e transformado num instrumento do próprio Bolsonaro, mas logo depois devolvido as donas originais do grupo, que agora tem mais seguidores do que tinham antes do suposto hackeamento. Acorda povo!

Quem criou uma Secretaria Especial para tratar dos temas da Mulher foi Lula. E o candidato do Lula é o Haddad. Então, a nosa turma tem lado, tem bandeira e tem candidato. Bolsonaro é só a expressão final e mais grotesca e violenta do mal que vem embutido em outras candidaturas liberais e neo liberais. Se a mulherada abrir mão nossas bandeiras e das nossas candidaturas, alguma outra candidatura se beneficiará. Simples assim.

3 pensamentos sobre “O movimento #MulheresContraBolsonaro , os movimentos de junho de 2013 e o perigo de se repetir erros

  1. Perfeito em sua escrita Luiz Muller, concordo literalmente. Me chamou a atenção deste crescimento abrupto e universal, tenho manifestado e tentando alertar da mesma forma. Providencial e instrutiva sua narrativa.

    Curtir

  2. tem gente lá votando em amoeda, em alckmer e sua véia do relho, em állbotox dias. e pediram respeito quando eu questionei como derrubar bozonazi numa eleição “apartidária”. só falam em “elenao”. a semiótica foi pro espaço enquanto elas acabam fazendo a campanha do fascista “internado”.

    Curtir

  3. se não pararem, elenao vai ser eleito. publiquei esse texto seguidas vezes, em vários posts das feministas eleitoras de amoeda e da véia do relho e fui solenemente ignorada.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s