Educação

A educação mudou minha vida: portas que são abertas para que trilhemos nossos caminhos (Por Marcos Lauro)

Relato do jornalista Marcos Lauro, beneficiário da primeira turma do Prouni

Elencamos algumas histórias de vidas que foram transformadas pela educação no período em que Haddadera o ministro da Educação, beneficiadas por programas como ProuniFies sem Fiador, PronatecCaminho da Escola, por institutos federaisnovos campi e universidades, pela reformulação do Enem e muito mais.

No próximo dia 28 de outubro darei meu quinto voto a Fernando Haddad – depois de dois turnos da eleição municipal de São Paulo em 2012, eleição municipal de 2016 e primeiro turno desta eleição presidencial. Mas o curioso é que não foi diretamente pelo voto que “conheci” Haddad, mas sim quando as políticas iniciadas ou reforçadas durante o seu ministério no governo Lula impactaram diretamente a minha vida e a minha trajetória profissional.

Nunca passei fome, mas tive uma infância bastante humilde, com criação da minha avó materna e de um padrinho que a vida me deu e preencheu completamente o que seria a falta de um pai. Mesmo com todas as dificuldades e limitações financeiras, os estudos sempre foram prioridade.

Cresci usando roupa doada por uma família que morava nos Jardins, com filhos um pouco maiores que eu – quando as coisas ficavam apertadas por lá, mandavam pra mim.

Mas sempre havia dinheiro para os uniformes e materiais escolares básicos. Estudei em duas escolas estaduais no bairro de Santa Cecília, região central de São Paulo.

Quando acabou o Ensino Médio, eu já sabia o que procurar profissionalmente: o jornalismo. Mas não sabia como. Já trabalhava, mas não tinha a mínima condição de pagar mensalidades e todo o custo que envolve o Ensino Superior. Conheci o Cursinho da Poli, uma iniciativa popular da USP que ensinava com foco na Fuvest e preços mais baixos do que o mercado. Era a minha chance de tentar uma universidade pública de qualidade e fui.

Tentei a Fuvest por dois anos. Na segunda tentativa, cheguei a ir para a segunda fase, mas oito pontos me separaram dos portões da Cidade Universitária.

E foi nesse momento em que conheci o Prouni.

O Programa Universidade Para Todos ia iniciar seu primeiro processo seletivo para a turma de 2005, com bolsas de 50% e 100%, em instituições privadas. O “custo” era fazer o Enem – e, claro, ir bem. Fiz as contas e me enquadrava nas condições para tentar a bolsa de 100%. Como fui muito bem ranqueado no Enem, consegui a esperada vaga e escolhi a Universidade Anhembi Morumbi para prestar o curso, de onde saí, formado, em 2008.

Pode parecer piegas, mas a sensação era: como pode ser tão fácil assim, burocraticamente falando? Isso é real?

Conto toda essa história para te mostrar o quanto um governo preocupado com o povo é, de fato, importante. Poderia ser apenas um caso isolado, de alguém que se deu bem, deu sorte, mas não é. Na minha sala havia outros bolsistas, que também se aventuravam nessa primeira turma de Prouni e que se tornaram ótimos profissionais do meio. Conheci, na mesma universidade, bolsistas de outras áreas e cursos que também levantaram suas vidas a partir dali
A bolsa não tornou o caminho mais fácil, mas o viabilizou. Não fosse pelo Prouni, não sei quantas vezes eu teria tentado Fuvest, até que as obrigações da vida me chamassem e eu tivesse que renunciar às minhas vontades para viver e apenas pagar as contas. Não sei em que ramo eu estaria ou o que estaria fazendo. Não sei o que meu amigos e colegas bolsistas estariam fazendo.

Hoje, depois do Prouni (e por causa do Prouni), sou jornalista formado, atuo na área e tenho minha própria agência, com foco em conteúdo para redes sociais e marketing digital.

As políticas afirmativas servem para isso: abrir portas para que nós trilhemos nosso próprio caminho. Como já disse, minha história não é única, mas representa o que pode acontecer quando temos um governo que se preocupa com o bem-estar do cidadão. E é disso que precisamos depois de tanto desmando.

Hoje, como consequência direta dessas políticas, quem doa roupas sou eu.

Marcos Lauro 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s