Porto Alegre/SAÚDE

Porto Alegre: Ao invés de reabrir o Hospital Belém, Marchezan tirou equipamentos de lá em plena pandemia

É o que disse em artigo no Jornal do Comércio, Luiz Augusto Pereira, Presidente do Sanatório Belém, que continua fechado, apesar de estarmos atingindo ocupação quase total de leitos em Porto Alegre. O artigo na íntegra esta logo após meu comentário a seguir.

Aliás, antes da pandemia havia um grande movimento da Prefeitura pra fechar mais de 200 equipes de Saúde da família, que atendiam mais de 800 mil pessoas, que seriam substituídas por “12 clínicas da família” instaladas em prédios em alguns lugares da cidade, tema que tratei a época no artigo Porto Alegre: Prefeito demite 1.840 servidores da SAÚDE e 840 mil pessoas podem ficar sem atendimento (Vídeo) . É bom relembrar que quem evitou a demissão naquele momento, foi a justiça. Porém a qualquer momento isto pode mudar, as demissões ocorrerem e o Prefeito implementar seu plano.

Hospital de Referência continua fechado, quando poderia estar atendendo pacientes

Leia o artigo do Luiz Augusto Pereira, publicado ainda em Abril no Jornal do Comércio. O Hospital continua fechado.

Sanatório Belém e hospitais de campanha

Luiz Augusto Pereira

O Sanatório Belém, Hospital Parque Belém, foi pioneiro na luta contra a tuberculose. Inaugurado oficialmente em 12 de outubro de 1942, com a presença do presidente da República Getulio Vargas, o hospital para tuberculosos, tornou-se, ao longo dos anos, referência para toda a América Latina. Em 1975, vencida parcialmente a tuberculose, o Sanatório Belém transformou-se em um Hospital Geral, modernizou-se e finalmente, em 24 de maio de 2017, suspendeu as suas atividades para readequações.O Hospital Parque Belém é uma instituição filantrópica e de utilidade pública, atualmente apresenta boas condições estruturais e técnicas, está localizado na Zona Sul de Porto Alegre, ocupa área privilegiada, mantém espaços projetados para isolamento, tem boa ventilação e luz solar abundante em todos os seus pavilhões, com área construída de 12 mil metros quadrados.O prefeito de Porto Alegre, para o enfrentamento da emergência de saúde pública Covid-19, requisitou os bens móveis do hospital e retirou, em 20 de março passado, equipamentos importantes que compunham a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), 20 leitos e 10 respiradores. Remanescem no hospital 150 leitos hospitalares com rede de oxigênio estruturada, sala de recuperação e cinco salas cirúrgicas equipadas, bem como equipamentos de rádio imagem, incorporados a estrutura do prédio e, portanto, de difícil e custosa remoção.Atualmente, a mídia tem noticiado que, na Região Metropolitana de Porto Alegre, municípios que não possuem hospitais desativados estão montando hospitais de campanha em locais improvisados, como ginásios e prédios de escolas. É notícia também a opinião de especialistas em Saúde Pública recomendando a utilização de estruturas hospitalares desativadas em detrimento da construção de hospitais de campanha. A estrutura e todo o Hospital Parque Belém foram colocados à disposição das autoridades públicas nas três esferas de governo, municipal, estadual e federal.O hospital possui equipamentos modernos, atuou, durante anos, na alta complexidade de neurologia e traumatologia, pode ser retaguarda dos grandes hospitais da Capital ou atuar na baixa e média complexidade. Proteger, salvar vidas depende de todos, as autoridades públicas podem decidir o que fazer com o Hospital Parque Belém.

Médico e presidente do Sanatório Belém

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s