Uncategorized

Empresários vão à Justiça para que o golpe apoiado pela Fiesp não destrua a indústria naval

estaleiro-atlantico-sul-em-pernambuco-onde-foi-construido-o-primeiro-navio-do-promef-divulga

Os empresários do setor naval entraram na Justiça para evitar que o golpe parlamentar articulado por Eduardo Cunha e Michel Temer, ambos do PMDB, e apoiado pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo),liderada por Paulo Skaf (PMDB), destrua a indústria naval brasileira. O novo governo já havia agravado a situação das micro e pequenas empresas.

O Valor Econômico publicou que o Sindicato da Indústria Naval ingressou com uma ação judicial para impedir que a Agência Nacional de Petróleo (ANP) aceite o pedido da Petrobras para reduzir (para zero, em muitos casos) a exigência de conteúdo local nos equipamentos para a exploração dos campos de Sépia e Libra, ambos do pré-sal, como havia sido exigido na licitação que outorgou à petroleira e seus sócios a produção destas jazidas.

O conteúdo nacional havia sido aprovado durante o governo do ex-presidente Lula e agora quer ser retirado pelo governo Temer. A prática é utilizada em todos os países industrializados e foi fundamental no desenvolvimento da Coréia do Sul. O presidente do Sinaval, Ariovaldo Rocha, contesta as notas plantadas pela estatal de que os equipamentos, aqui, custariam entre 40 e 60% mais do que comprados no exterior:

“Como pode ser 40% mais caro se os operadores convidados [para afretar as unidades de Libra e Sépia à estatal] não pesquisaram nenhum estaleiro brasileiro?(…) Falta uma consulta real aos fornecedores locais. A Petrobras argumenta que as plataformas de produção ficam 40% mais caras com o conteúdo local, mas não apresenta as informações que comprovem esse argumento”

Para que o leitor tenha uma ideia da monstruosidade que pretende a gestão do indicado de Temer na Petrobras, o ex-“ministro do apagão” de FHC, Pedro Parente, quer que o casco das plataformas do megacampo de Libra tenha índice de conteúdo local zero,ou seja, passe a ser feito todo fora do Brasil.

O edital e o contrato original que deram à Petrobras, (associada à Total, à Shell e às chinesas CNPC e CNOOC) o direito de exploração do campo previam que os cascos tivessem  índices de conteúdo local que variavam de 75% até 90%.

6 pensamentos sobre “Empresários vão à Justiça para que o golpe apoiado pela Fiesp não destrua a indústria naval

  1. Pingback: Empresários vão à Justiça para que o golpe apoiado pela Fiesp não destrua a indústria naval | Luíz Müller Blog | CLIPPING DE NOTÍCIAS DA SENAPRO-PCO

  2. Creio que sem violência e mortes essa reba não sai do Poder, não com essa justiça tucana…Já não acredito mais que sem revolução nos livremos das castas corruptas…

    Curtir

  3. COMO GERAR EMPREGOS NO BRASIL SE :PAGAMOS A OUTRO PAIS PARA IMPRIMIR NOSSO DINHEIRO,SE ALIJAMOS A NOSSA INDÚSTRIA NAVAL GRANDE GERADORA DE EMPREGOS.SINCERAMENTE É MUITO DIFÍCIL ENTENDER E PREVER QUE RUMOS TERÁ O PAIS COM ESSE GOVERNO.

    Curtir

  4. Pingback: Empresários vão à Justiça para que o golpe apoiado pela Fiesp não destrua a indústria naval | Luíz Müller Blog – Brasdangola Blogue

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: