Agricultura

Da tribuna, Senador Paim responsabiliza Bolsonaro pela possível quebra de pequenos produtores de Leite no RS e no Brasil inteiro

Leite produçãoDiscurso Proferido pelo Senador, na íntegra:
Os produtores de leite estão em pânico devido a decisão do governo federal, através do Ministério da Economia, de encerrar a cobrança tarifária sobre a importação de leite em pó, integral ou desnatado da União Europeia e da Nova Zelândia.
A decisão foi publicada na quarta-feira passada, dia 6 de fevereiro, no Diário Oficial da União.
A taxa tinha como objetivo evitar que os produtores nacionais fossem prejudicados pelo aumento de oferta dos produtos desses países.
Lembro que, a própria Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) vinha há meses reforçando a necessidade de prorrogação da tarifa, que estava em…
… 14,8% para o leite importado da União Europeia   e de 3,9% para o da Nova Zelândia. A pergunta que não quer calar é: o leite vai diminuir 14,8% para o consumidor? Essa história eu conheço. Não vai. Quem serão os beneficiados? Os atravessadores e as grandes empresas.
Se o governo quer efetivamente baixar os preços, é só dar aos produtores brasileiros os mesmos subsídios que são dados na Europa e na Nova Zelândia.
Como disse um produtor: …
… se continuar assim, em bem pouco tempo, a população brasileira só irá comprar nos supermercados leite europeu.
A União Europeia tem altos subsídios na produção de leite, o que facilita a venda desse leite, mais barato, para o Brasil.
Informações preliminares apontam que, a União Europeia tem estocados 150 mil toneladas de leite. Este mesmo leite deve chegar em breve no nosso país.
A cadeia produtiva do leite de forma direta, conta com cerca de 1 milhão e 200 mil agricultores familiares que produzem leite no Brasil. Destes, mais de 65 mil são do Rio Grande do Sul.
Senhor Presidente,
Recebi uma mensagem do produtor de leite Jair Paulo Maier, da cidade gaúcha de Tiradentes do Sul.
Abre aspas…
“Prezado senador Paulo Paim. Eu sou produtor de leite há muitos anos, sendo que essa é a principal atividade econômica da nossa família.
Nós, como produtores de leite viemos sofrendo muito nos últimos anos, porque algumas empresas não pagaram o leite que compraram e decretaram falência.
Até hoje estamos brigando na justiça para receber pelo produto vendido, isso lá em 2016 e 2017.
Se não bastasse isso, logo em seguida sofremos muito com a queda do preço pago pelas empresas, …
… que alegavam ter uma super oferta do produto; mais o aumento das importações do leite do Uruguai e da Argentina…
Com isso, nós produtores que recebíamos até R$ 1,50 por litro de leite, sofremos mais ainda, …
… pois o preço foi baixando e as empresas pagaram somente R$ 0,70 centavos o litro, inviabilizando a produção, onde muitos vizinhos pararam de produzir…
Continuei produzindo, por que numa pequena área de terra não temos muitas outras alternativas de produção.
Acreditando que o preço iria reagir novamente (no ano de 2018 os preços foram mais ou menos) mas também teve queda no preço pago pela indústria, …
… mas não tanto como no ano de 2017, inclusive nos dando umas perspectivas um pouco melhores.
Agora com o fim das taxas de importação eu estou muito preocupado.  O que será do nosso futuro e o futuro da minha filha?
Nós dependemos desse dinheiro da produção de leite para viver, para pagar os financiamentos que fizemos para investir na produção.
Eu sei que no momento que começa a chegar o produto dos outros países, e a oferta é superior a procura no mercado, quem paga a conta somos nós produtores, …
… porque nós vendemos o nosso produto e só sabemos o valor pago por litro depois de 45 dias ter entregue o produto, e aí, a empresa paga o que quiser.
Senador Paim, eu me pergunto: …
… até quando nós vamos aguentar pagar para trabalhar?
O custo de produção aqui no Brasil é muito maior que nos outros países, isso pode significar o fim de muitos pequenos produtores de leite e o fim da agricultura familiar.
Em muitas propriedades a principal fonte de renda é o leite. Espero que o governo volte atrás com essa medida, se não os nossos dias estão contados.
Senhoras e Senhores Senadores.
A situação da cadeira produtiva do leite é preocupante.  Nós não podemos fechar os olhos para tal situação.
Ainda ontem, lá no Rio Grande do Sul, ocorreu uma reunião com parlamentares e entidades, entre elas, a Fetraf (Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar).
Foram tiradas algumas deliberações:
Mobilização nacional da categoria;
Solicitação de audiência com o ministro da Casa Civil Onix Lorenzoni, e com o governador do RS Eduardo leite; Eu vou além, deveríamos pedir, pela gravidade da situação, uma audiência com o presidente em exercício, general Hamilton Mourão;
Contato com a Frente Parlamentar da Agricultura;
Ação articulada com parlamentares, nacionalizando a crise do setor;
Atos simbólicos para o dia 14 de fevereiro em Porto Alegre.
Senhor Presidente. Fatalmente, se essa decisão não for revertida, ela levará os produtores brasileiros de leite a falência. Teremos menos emprego e renda, menos arrecadação, mais problemas sociais.
Não é isso que nós queremos para o Brasil. Queremos que as decisões tenham equilíbrio. Mas, sobretudo, que a indústria e a produção nacional sejam resguardadas e respeitadas.
E como este Governo parece funcionar mais nas redes sociais que na realidade do povo, Paim também comunicou via Twitter para o General Mourão:
Decreto bolosnaro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s