Educação/Rio Grande do Sul

Brizoletas- A Educação levada aos mais longínquos rincões, ao contrario dos nossos dias

Na Semana em que comemoramos os 60 anos da CAMPANHA DA LEGALIDADE, é preciso lembrar que ela só foi possível por que Brizola sinalizou um outro tempo para um Rio Grande ainda atrasado na época. Nesta Semana o Blog vai publicar alguns artigos que lembram a trajetória do Grande Comandante da LEGALIDADE.

E não dá pra falar de Brizola sem falar da Educação. Num Estado onde a Educação ainda era para poucos, espalhou Escolas por todos os rincões do Rio Grande, para que o povo, muitos sem acesso a educação, pudessem finalmente estudar.

Nestes tempos nefastos, onde muitas escolas são fechadas por supostamente serem deficitárias e muita criança tem dificuldade de acessar as aulas On line, Brizola certamente levaria um computador e acesso a Internet a cada aluno da Rede Pública gaúcha, assim como fez com as Brizoletas, naqueles tempos onde muitos gaúchos ainda eram excluídos da Educação.

Republico artigo de 2012 de Bárbara Nicola originalmente publicado no Blog HISTÓRIA E ARQUITETURA . Ele fala do Patrimônio Histórico do pequeno município de Barra Funda. Lá tem uma Brizoleta restaurada. Mas quantas centenas delas desapareceram, até para dar lugar a outras escolas maiores?

Barra Funda/RS – “Brizoletas”: Patrimônio Histórico e cultural do município

Por Bárbara Nicola*

Entre 1959 a 1963 e estado do Rio Grande do Sul, governado por Leonel Brizola, implantou um projeto na tentativa de erradicar o analfabetismo no estado, intitulado: “Nenhuma criança sem escola no Rio Grande do Sul”. Foi então que surgiram as chamadas “Brizoletas”, ou escolhinhas do Brizola, que gerou, além de grande número de contratação de professores, um grande aumento de matrículas escolares. Este processo sobrevive na memória de muitos municípios por todo o estado, como é o caso também do nosso município, Barra Funda.As escolas tinhas algumas características bem específicas e muitas se situavam no interior dos municípios. Segundo Quadros**, 2002,[…] Eram feitas em madeira e, no geral, tinham uma ou duas salas de aula. O projeto arquitetônico das Brizoletas era padronizado, podendo variar o número de salas de aula conforme cada plano de construção. No meio rural, com frequência, as condições e as possibilidades de acesso à escola eram, no geral, mais difíceis que no meio urbano. Os poucos prédios escolares, as grandes distancias e a participação das crianças nas atividades agrícolas eram empecilhos concreto à frequência normal à escola […]Na região de nosso município, as escolinhas foram implantadas na mesma época, entre 1959 e 1963, no então distrito de Sarandi, a quem pertencíamos, antes de sermos emancipados. Foram duas escolinhas, uma na localidade da Linha Santa Lúcia e outra na localidade de Linha Carijo.Em 2010, um projeto desenvolvido por alunos da 8ª série do Ensino Fundamental da Escola Municipal Barra Funda, com a ajuda das professoras da disciplina de história da escola, direção, coordenação e da Secretaria de Educação do município, iniciou o resgate histórico da educação do município, baseada nas escolhinhas do interior, e tendo como principal foco a história das “brizoletas”. O trabalho resultou na tentativa de preservação desta história, com a restauração da escola, que apesar de tirada do local original de sua construção, manteve as características arquitetônicas do prédio, projeto padrão de todas elas. Hoje, o prédio se encontra em frente a escola, pronto para receber visitantes.Ainda assim, prevalece em nossa cultura o pouco conhecimento e valorização do patrimônio histórico de nosso município, muitas vezes sendo ignorado e chamando a atenção muitas vezes de pessoas de fora de nosso município. A identidade de uma sociedade depende essencialmente de como ela se construiu e nisso reside a importância da valorização do patrimônio histórico. De acordo com Quadros, “tais escolas não eram prédios quaisquer; sua presença representou um mundo novo se abriu”.Pouca gente sabe sobre a história das Brizoletas em nosso município, sendo denominada muitas vezes “aquela casinha” situada em frente à Escola Municipal de Barra Funda. Certamente ela não tem nada de majestosa e nem de exuberante, é um edifício simples e modesto, porém, carrega em si marcas da história da educação rio-grandense, representando hoje a memória viva de nosso município, que precisa ser valorizada como merece: um patrimônio histórico e cultural da cidade.
 *Academica 7º nível do curso de História da Universidade de Passo Fundo**QUADROS, Cleudemir. As Brizoletas cobrindo o Rio Grande do Sul: a educação pública no Rio Grande do Sul durante o governo de Leonel Brizola (1959-1963) Rio Grande do Sul: Editora UFSM, 2002.
 Fonte: http://www.defender.org.br/barra-fundars-brizoletas-patrimonio-historico-e-cultural-do-municipio/

Este artigo me foi relembrado pelo Companheiro Adeli Sell, que publicou em seu facebook

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s