Porto Alegre/SAÚDE

Com Melo, a Saúde esta passando mal em Porto Alegre! Sem ar-condicionado, pacientes sofrem com altas temperaturas no HPS

O Blogue recebeu denúncia do SIMPA sobre falta de ar condicionado no Hospital de Pronto Socorro. Mas por conta da privatização e terceirização da Saúde de Porto Alegre, é óbvio que este é só um dos graves problemas enfrentados pela Saúde de Porto Alegre. Filas cada vez mais longas e mais demora para acessar várias especialidades é outro sintoma de que a Saúde Pública não vai bem em Porto Alegre.

Segue a Denúncia do Sindicato dos Municipários sobre o Pronto Socorro.

A falta de ar-condicionado no Hospital de Pronto Socorro (HPS) de Porto Alegre coloca em risco o atendimento aos usuários e cria condição de trabalho insuportável para servidores. Após receber denúncias de colegas da Saúde, dirigentes do Simpa estiveram no HPS na manhã dessa segunda-feira (12/12) para conferir as condições de trabalho nos diversos setores do hospital, alguns com a marca de 28 graus já no início da manhã.

Unidades de Tratamento Intensivo, farmácia, salas de atendimento e administrativo, todos os locais apresentam risco, tanto para o atendimento e trabalho, quanto para a manutenção de insumos, medicamentos e equipamentos. Um exemplo é o tomógrafo, aparelho fundamental para realização de cirurgias e que precisa ser mantido com temperatura regulada.

A situação dramática que é vivenciada há mais de três semanas, foi resolvida parcialmente por alguns dias e no sábado voltou a estragar. Os problemas relacionados ao funcionamento do sistema de ar-condicionado central do HPS são recorrentes.

PROBLEMAS COM A TERCEIRIZAÇÃO
A empresa terceirizada Ambiental Max, mantida pelo governo Melo através de contrato emergencial, não apresenta condições técnicas para a manutenção do sistema de ar-condicionado. Conforme relatos recebidos, o engenheiro da empresa nunca foi ao hospital.

DENÚNCIA

Após a visita, registro de imagens e conversa com as trabalhadoras e trabalhadores, o Simpa encaminhará representação ao Ministério Público e denúncia ao Conselho Municipal de Saúde, Conselho Regional de Enfermagem (Coren) e Conselho Regional de Medicina (Cremers). O Sindicato também pedirá reunião com a direção do HPS. Problemas com a terceirização, tanto na Saúde como em outros setores da Prefeitura se repetem, enquanto Melo continua com a política de entrega dos serviços públicos à iniciativa privada, sem fiscalização e cobranças sobre os contratos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s