Uncategorized

Flagrada explorando trabalho escravo, Renner justifica com terceirização

A terceirização na maioria dos casos é uma maneira legal que as empresas encontraram para precarizar as relações de trabalho. Precarizar no caso, pode significar salários ínfimos de categorias diferenciadas com Sindicatos submissos aos interesses do capital. No caso das confecções as empresas foram mais longe. Na “cadeia produtiva” se utilizam de trabalho escravo escancaradamente. … Continuar lendo

Uncategorized

M.Officer é condenada por escravidão (E tu,vai continuar comprando?)

Do jornal Brasil de Fato: A empresa M5 Têxtil, do estilista Carlos Miele e detentora da marca M.Officer, foi condenada judicialmente pela utilização de trabalho análogo à escravidão em oficinas clandestinas que faziam produtos da marca. A decisão foi da juíza Sandra Miguel Abou Assali Bertelli, da 2ª Região do Tribunal Regional do Trabalho (TRT2-SP), … Continuar lendo