democracia/política

Resolução do Diretório Nacional do PT propõe Constituinte Revogatória dos atos do Governo Golpista de Temer

“…A solução para a crise começa pelas eleições diretas e passa também,  por “adotar medidas de emergência que encadeiem reformas estruturais, que só um governo Lula pode conduzir, e que enfrentem a crise do ponto de vista das classes trabalhadoras; é necessária a convocação de uma As­sembleia Nacional Constituinte que revogue as medidas antipopulares e antinacionais de Temer…” Trecho da Resolução do Diretório Nacional do PT)

Fora Temer

Este humilde blogueiro entende que a “Constituinte revogatória”, já referida em discursos pelo próprio Lula, deve ser a bandeira a ser levada pelo PT a todas as demais forças políticas que lutam pela VOLTA da democracia no país. Não se trata só de pensar nas eleições, mas de saber o que fazer depois. É preciso uma Frente Ampla de todas as forças que defendem a democracia e a nação brasileira diante do maior ataque já sofrido pelo Brasil, imposto através das mãos corruptas e vendidas ao capital financeiro internacional. É preciso reacender a esperança no povo e a esperança só se reacende se o povo sentir que as coisas poderão voltar a melhorar. E o começo de tudo isto é a revogação de todas as decisões tomadas e aprovadas durante o governo golpista. Revogar o Congelamento de Investimentos nas áreas de Educação,, Saúde e Assistência Social; revogar todas as atrocidades cometidas contra os trabalhadores na chamada “reforma trabalhista”; revogar o corte de investimentos estatais em Infra Estrutura; revogar a decisão de venda de nacos do Pré-Sal e todas os demais golpes cometidos contra os trabalhadores e o povo na vigência do Governo Golpista. Com esta posição, de “constituinte revogatória”, o PT se aproxima muito da Frente Política constituída por Requião, que propõe o “Plebiscito Revogatório”. É preciso juntar forças. Não resgataremos a dignidade do povo e do Brasil se não estivermos todos juntos, os de esquerda e os democratas e nacional desenvolvimentistas de todos os matizes.

Segue artigo de O TRABALHO, com extratos da Resolução do Diretório Nacional:

Diretório Nacional do PT sintonizado com o país

Na sua segunda reunião, dias 21 e 22 de setembro, o DN eleito no Congresso de Junho adotou uma resolução positiva (abaixo), atualizando na conjuntura conquis­tas do 6o Congresso (Constituinte, por exemplo), com um balanço da Caravana de Lula que o torna “can­didato irrevogável, Eleição Sem Lula é Fraude”. Não apareceram adeptos do “plano B”. O DN também abraçou a campanha da CUT pela revogação da reforma da CLT. Só a Articulação de Esquerda opôs outro texto, mas pareceu um protesto por não ser con­templada nos cargos da Executiva.

Ainda foi lançada uma campanha de filiação e apresentada a plataforma digital da Fundação Perseu Abramo, “O Brasil que o povo quer”, para dis­cutir programa de governo. Sobre o ex-ministro Palocci, disse a DN que “colocou-se a serviço da perseguição político-eleitoral que é movida contra a liderança popular de Lula e o PT, rompeu seu vínculo com o partido e descomprometeu-se com a sua mi­litância”, tendo sido suspenso do PT (mas dias depois se desfiliou).

 

Markus Sokol


Confira trechos da resolução política

1 – A profunda crise que o Brasil vive não pode ser desvinculada dos graves conflitos que ocorrem no cenário global. A busca, pelos EUA e outras potências hegemônicas, de uma saída para a sua própria crise econômica, não resolvida desde 2007/08, se desdobra em uma crise de dominação política, com agressões que põem seriamente em risco a paz e a segurança dos povos. Na América Latina, um dos mais graves aspectos da ofensiva conservadora é o ataque aberto do governo Trump à soberania da Venezuela, com a cumplicidade do governo Temer e outros governos subordinados, que se recusam a reco­nhecer a legitimidade de instituições democraticamente eleitas como a Assembleia Constituinte e o direito do povo venezuelano à autodeter­minação.

2 – A crise de credibilidade das instituições – Executivo, Congresso Nacional e Judiciário –, confirmada em todas as pesquisas de opinião, é consequência do golpe que rasgou a Constituição e da resistência de­mocrática e popular às políticas de regressão históricas. O povo não vê nelas a resposta que busca para seus anseios de bem-estar e justiça social, e, ao contrário, vê as instituições cada vez mais cúmplices, desde o impea­chment da presidente Dilma e com a perseguição ao presidente Lula, de uma manipulação por interesses es­púrios, antipopulares e antinacionais, os mesmos que estão quebrando seto­res inteiros da economia e impondo à população sacrifícios sem fim.

A crise política e moral das insti­tuições só será resolvida pelo voto popular soberano. Apenas um novo governo, legitimamente eleito, poderá liderar o processo de reforma do Esta­do, cada vez mais necessário, inclusive para enfrentar os beneficiários do atual sistema que se lançam como enganosa alternativa antidemocrática.

A solução para a crise começa pelas eleições diretas e passa também, como deliberou o 6º Congresso do PT, por “adotar medidas de emergência que encadeiem reformas estruturais, que só um governo Lula pode conduzir, e que enfrentem a crise do ponto de vista das classes trabalhadoras; é necessária a convocação de uma As­sembleia Nacional Constituinte que revogue as medidas antipopulares e antinacionais de Temer, reforme as instituições, realize a reforma tribu­tária, a democratização dos meios de comunicação, a reforma agrária, com preservação ecológica, a reforma urba­na e a proteção ambiental, a reforma do Judiciário, e assegure e amplie a oferta de empregos e a qualidade dos direitos sociais”.

3 – O PT reafirma a opção irrevogá­vel pela candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições presidenciais de 2018. Não há dúvida de que eleição sem Lula é fraude! O ataque a Lula configura um ataque à democracia brasileira, especialmente, ao direito inviolável de escolha da cidadã e do cidadão. As espetacula­res manifestações de apoio popular à caravana Lula Pelo Brasil, em sua passagem pelo Nordeste, confirmam o que as pesquisas já indicavam: Lula é a única liderança política capaz de mobilizar a esperança do povo na retomada da democracia, do desenvolvimento e das conquistas sociais.


Filiação, preferência e reconstrução

Em dez dias de Campanha de Filiação, segundo a Secretaria de Organização,1.896 pessoas pediram adesão ao PT. Quase um terço de São Paulo. E embora a maior parte tenha entre 30 e 44 anos (37%), chama a atenção a grande adesão de jovens (27%).
Também na pesquisa do Datafolha o PT se recupera. Ela confirma outras pesquisas, com Lula na frente em todos os cenários. A preferência pelo PT já foi 31% em 2012. Caiu a 9% em março de 2015 com frustração pelas medidas de ajuste fiscal do ministro Levy de Dilma (quando a direita saiu à rua), e estava em 9%, após as eleições, em dezembro de 2016.
Mas já em junho passado, quando do seu 6o Congresso, o PT atingiu 18% de preferência (ver pag.3). Tem a ver com o desgaste do golpismo, mas sobretudo com as posições que o PT tomou, depois que a base rechaçou o voto em Maia e se adotou algumas posições renovadoras no processo do Congresso, reafirmadas no último DN.

2 pensamentos sobre “Resolução do Diretório Nacional do PT propõe Constituinte Revogatória dos atos do Governo Golpista de Temer

  1. Pingback: Não ao Golpe2

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s