Uncategorized

Economista ligado a Alckmin é alvo de nova fase da Operação Zelotes

Operação investiga oito pessoas, entre elas Roberto Giannetti da Fonseca. Ela também investiga gaúchos.Espera-se uma ação do “jornalista investigativo” da RBS pra saber quem são os envolvidos em terras gaúchas.rrrrssss

Da Carta Capital

Rovena Rosa/Agência Brasil
zelotes.jpg

Nova fase da Zelotes investiga desvios de 900 milhões de reais

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira 26 a 10ª fase da Operação Zelotes, que apura irregularidades no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). De acordo com o Ministério Público, oito pessoas e duas empresas são investigadas nesta fase por desvios que ultrapassam 900 milhões de reais.

De acordo com com notícias veiculas pelas imprensa, um dos alvos da ação é o economista Roberto Giannetti da Fonseca, ligado ao pré-candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin. Giannetti é suspeito de ter recebido propina de 2,2 milhão de reais para favorecer a empresa Paranapanema em julgamento do Carf em 2014.

A Kaduna, uma das empresas do economista, é alvo de busca e apreensão. A empresa recebeu recursos da Paranapanema. A suspeita dos investigadores é de que o dinheiro tenha sido usado para obter decisão no Carf de forma ilícita.

Gianetti foi um dos cotados para coordenar o programa de governo do presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB-SP), mas sua entrada na equipe de campanha não se concretizou. Ele também foi secretário-executivo da Câmara de Comércio Exterior no governo do tucano Fernando Henrique Cardoso.

A PF cumpriu nove mandados de busca e apreensão em quatro estados  – Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul e Pernambuco – e no Distrito Federal. Os nomes dos alvos desta etapa, no entanto, ainda não foram divulgados pelos investigadores. A Receita Federal também atua na operação, auxiliando nas investigações.

Por ordem judicial da 10ª Vara Federal em Brasília foram autorizadas quebras de sigilo bancário, fiscal, telefônico e telemático de investigados envolvidos em suspeitas de irregularidades em julgamento de processo fiscal de interesse de empresa siderúrgica, com sede em Santo André, na Grande São Paulo,  no Carf.

De acordo com a Receita Federal, as investigações da Operação Zelotes têm revelado a existência de um esquema ilícito de influência nos julgamentos do Carf envolvendo interesses privados em prejuízo da administração pública tributária.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s