Movimentos sociais

ENERGIZAR 2019 (Por Selvino Heck)

19º-curso-oscar-romeroo-768x377

Selvino Heck Participou do décimo nono Curso Oscar Romero, em Santa Maria, RS, (Foto; Michele Correia)

Não será fácil atravessar 2019. Por isso, começar bem o ano é fundamental. Por exemplo, primeiro passar a virada do ano e o primeiro dia de janeiro dando um abraço em Lula em Curitiba e gritar Lula Livre. Segundo, ficar cinco dias refletindo, com mais oitenta pessoas, sobre a espiritualidade sócio-político-libertadora no décimo nono Curso Oscar Romero, em Santa Maria, RS, organizado pela Equipe Arquidiocesana de Articulação de CEBs, Faculdade Palotina e Equipe Colegiada de Coordenação Pastoral. Por fim, terceiro, dar uma chegada nas praias da Armação, Matadeiro e Morro das Campanhas, Sul da Ilha de Florianópolis, Santa Catarina, em meio a trilhas, pescadores e muito verde.

Nas palavras do monge beneditino Marcelo Barros, no Curso Oscar Romero, a espiritualidade dos profetas assenta-se na consciência de um chamado, na busca da intimidade divina, no aprimoramento da capacidade de escutar, na formação de células de resistência (minorias abraâmicas, na expressão de Dom Hélder Câmara), em assumir a marginalidade e o risco do deserto, exigindo de si mesmo a coerência.

A pastora luterana Romi Bencke, Secretária do CONIC (Conselho Nacional das Igrejas Cristãs), no tema Violência, Ecumenismo, Gênero, chamou a atenção para os tipos de violência que permeiam a sociedade, especialmente contra as mulheres, legitimada pelas estruturas patriarcais, machistas e sexistas sobre  as quais a sociedade vem sendo edificada há séculos, violências não apenas físicas, mas também simbólicas, violências por meio da linguagem e, principalmente, a violência sistêmica, provocada por sistemas de exclusão. E de como as mulheres devem se organizar e resistir, nos belos exemplos dados em 2019.

A professora Rosemary Fernandes da Costa, no tema Juventudes e Espiritualidade libertadora na Linha de Dom Oscar Romero, falou sobre a riqueza presente nas diferentes juventudes, em resposta à cultura do consumismo e à indústria do entretenimento. A juventude, engajada na construção de uma Civilização do Amor, é profética hoje. E nos convoca à parceria solidária, ao exercício coletivo da cidadania.

Para o monge beneditino Marcelo Barros, na reflexão ‘Por uma espiritualidade sócio-político libertadora’, espiritualidade não é moralismo, não é legalismo, não é religião. Espiritualidade é a vida conduzida pelo espirito. Passa do egocentrismo ao etnocentrismo e finalmente ao cosmocentrismo, tão bem expresso na Encíclica ‘Laudato Sì’ do Papa Francisco.

Oscar Romero foi assassinado em El Salvador em 1980, ‘por ódio à fé e ao testemunho profético em oposição à opressão militar’.  Era uma das poucas vozes de resistência ao regime militar daquele país dentro da igreja católica e recebeu muitas ameaças por conta da sua atuação crítica e engajada com a sociedade. Dizia: “A missão da Igreja é identificar-se com os pobres. Assim a Igreja encontra sua missão.” E disse mais: “Se me matarem, ressuscitarei no meu povo salvadorenho.” Ressuscitou. Foi declarado santo pelo Papa Francisco em 14 de outubro de 2018. Hoje é Santo Oscar Romero.  

O Sul da Ilha da Ilha de Florianópolis, praias das Armação, Matadeiro, Morro das Campanhas e arredores, parece o lugar ideal de silêncio e solidão rodeado de gente, pescadores locais, argentinas e argentinos, brasileiras e brasileiros de todos os recantos. De madrugada, os pescadores da Armação voltam do alto mar, trazendo peixes de todos os tipos, que podem ser comprados na beira da praia. No Matadeiro, não entram carros, apenas os praieiros, os cavalos carregados de cargas e pertences e os surfistas, em geral jovens, que voam no alto de suas belas ondas. E, entre as duas, o Morro das Campanhas, onde antigamente era espaço de acampamento, e hoje pode-se subir no alto de grandes pedras nuas e apreciar o marzão em frente, a ilha do Campeche, os morros cheios de verde, árvores e trilhas. Um paraíso nestes tempos sombrios e de tantas incertezas.

Como energizar 2019? Os tempos presentes, como os tempos dos anos 1970 em El Salvador, exigem estar preparado e exigem gestos proféticos. Dom Oscar Romero, que era conservador, à luz da realidade salvadorenha, dos massacres de camponeses e padres engajados na defesa dos pobres, converteu-se, pagou com a vida seu compromisso e sua voz profética, sem nunca abrir mão da crítica dura e direta ao governo repressor. Tal como nos tempos de hoje, quando lutadoras e lutadores são perseguidos, são assassinados, movimentos sociais são criminalizados.

Não há outra opção ou possibilidade. 2019 coloca a todas e todos na encruzilhada. ‘Ninguém solta a mão de ninguém’. Ser profeta está na urgência dos tempos que correm. Ninguém abandona quem sofre, todos se amparam mutuamente, para que se possa gritar e exigir liberdade, respeito às diferenças, justiça, direitos e democracia.      

Selvino Heck

Deputado estadual constituinte do Rio Grande do Sul (1987-1990)

Em onze de janeiro de dois mil e dezenove

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s