Uncategorized

Criminoso: MP permite que funcionário contaminado por coronavírus no trabalho seja demitido

Bolsonaro. Foto: Carolina Antunes/PR

DO UOL 

João (nome fictício) é economista e, portanto, poderia trabalhar de casa, mas está sendo obrigado pela empresa a ir ao escritório. Além do medo de pegar a covid-19 e de ser obrigado a infringir as recomendações de saúde de ficar em casa, ele não sabe que, se contrair o vírus no trabalho, pode ser demitido assim que voltar da licença médica.

Foi justamente este um dos precedentes permitidos pela medida provisória (MP) 927/2020, publicada no domingo (22) pelo governo e que prevê flexibilizações trabalhistas em tempos de pandemia.

O texto gerou fortes críticas não apenas nas redes sociais, mas também do Ministério Público do Trabalho, de associações de juristas e do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, por permitir, entre outras mudanças, que empresas pudessem suspender por quatro meses contrato e salário de seus funcionários, deixando-os sem rendimentos. Após repercussão negativa, o governo editou nova MP na noite de segunda (23) suspendendo o artigo 18 (o que permitia a suspensão dos contratos). No entanto, demais pontos da MP não foram alterados.

Um deles, o artigo 29, afirma que os “casos de contaminação pelo coronavírus (covid-19) não serão considerados ocupacionais”, ou seja, não serão considerados acidentes ou doenças de trabalho, exceto quando o trabalhador conseguir comprovar que essa contaminação aconteceu no escritório, comércio ou fábrica.

(…)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s