Uncategorized

MST doa 14,3 toneladas de alimentos em Santa Catarina

Ações de solidariedade envolveu cooperativas e assentamentos de quatro regiões do estado

Fotos por Juliano França e Coletivo de Comunicação do MST/SC

Por Coletivo de Comunicação do MST/SC
Da Página do MST

Nesta última sexta-feira (17), em memória dos mártires do massacre de Eldorado dos Carajás, o MST de Santa Catarina doou 7,3 toneladas de alimentos e sete mil litros de leite para moradores da cidade.

Frutos da produção e cooperação de famílias assentadas, os produtos compuseram cestas entregues à famílias que vivem nas periferias dos municípios de Campos Novos, Dionísio Cerqueira, Lages, Lebon Régis. Doações também foram feitas para hospitais públicos de São Miguel do Oeste e Guaraciaba.


A ação integra a campanha Periferia Viva, que reafirma o princípio de solidariedade entre a classe trabalhadora e a necessidade de uma Reforma Agrária Popular no Brasil.

Fotos por Juliano França e Coletivo de Comunicação do MST/SC

A atual conjuntura evidencia “as contradições da sociedade capitalista e mostra que a proposta do MST de produção de alimentos saudáveis é atual e urgente”, afirmou Vilson Santin, da direção estadual do MST.

Ainda segundo Santin,“nós não podemos esquecer daqueles que tombaram no massacre de Eldorado dos Carajás. Aquelas pessoas queriam terra para poder plantar e não passar mais fome em troca, receberam a morte, a covardia. Por isso, a nossa luta continua, a reforma agrária é urgente, é necessária e nós continuamos firmes por essa causa até que ela se torne realidade nesse nosso país”, finalizou.

No município de Dionísio Cerqueira, a Cooperunião, cooperativa de produção desenvolvida pelos integrantes do MST, arrecadou a doação de alimentos produzidos no Assentamento Conquista na Fronteira.

Feijão, milho, biscoitos, fitoterápicos, entre outros produtos, foram destinados para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), para o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), além de bairros em situação de vulnerabilidade do município.

Já em Campos Novos, o assentamento 30 de outubro, doou 500kg de alimentos, entre mandioca, batata doce, frutas cítricas, caqui, carne, feijão, arroz. Os produtos foram recebidos pelos bairros Pedacinho do Céu e Aparecida.

O município de Lebon Régis, que possui um dos piores indicadores sociais de Santa Catarina, também recebeu 5.000 kg de alimentos: feijão, abóbora cabutiá, moranga, batata doce, cebola e mandioca.

As doações foram realizadas conjuntamente pela Cooperativa dos Assentados da Região do Contestado (Coopercontestado), Cooperativa de Produção, Industrialização e Comercialização União do Oeste (Cooproeste).

Assentamentos dos municípios de Correia Pinto e Ponte Alta, reuniram 1500 quilos de alimentos frescos e processados, além de 700 litros de leite Terra Viva e achocolatado Terrinha. As doações foram feitas para a paróquia Sagrada Família, em Lages. A ação foi fruto da parceria foi com a Frente Brasil Popular, Cáritas e Centro de Direitos Humanos.

Também por meio da cooperativa Cooperoeste – Terra Viva, sete mil litros de leite chegaram em hospitais públicos de Guaraciaba e São Miguel do Oeste.

As ações de solidariedade têm papel fundamental para que a população mais vulnerável tenha condições de seguir as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e manter o isolamento social.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s