Uncategorized

Começou: Empresa da Noruega suspende compra de ração em retaliação a desmatamento no Brasil

Sem Ministro da Educação, Sem Ministro da Saúde e Ministro do Meio Ambiente diz que tem que aproveitar a Pandemia “pra passar a boiada”.

Avisos não faltaram desde o começo do Necro Governo Bolsonaro. Necro, por que ele atenta contra a vida de brasileiros e de cidadãos do mundo todo.

A conta quem vai pagar são os trabalhadores, que perderão seus empregos. Mas aí Bolsonaro tem a solução: o trabalhador deve escolher entre “ter emprego ou ter direitos”como ele disse na campanha. A barbárie ambiental e humana esta sendo produzida diariamente pelo Governo Brasileiro.

Outras empresas do mundo seguirão o mesmo rumo:

Leia a matéria da (FOLHAPRESS) –

Uma das maiores produtoras de salmão do mundo, a empresa norueguesa Grieg Seafood excluiu uma subsidiária da Cargill de sua lista de fornece
dores por ligações com o desmatamento ilegal no cerrado e na Amazônia brasileiros.

A decisão está vinculada aos R$ 558 milhões em títulos verdes (green bonds) recém-captados pela Grieg Seafood. Trata-se de títulos emitidos para financiar projetos sustentáveis e voltados à mitigação do processo de mudanças climáticas.

Com a medida, a Cargill Aqua Nutrition ficou excluída das fornecedoras para compras com esses papéis, usados para financiar a compra de rações inovadoras que melhorem o bem-estar e a saúde dos peixes.

“Por sermos uma empresa com soja brasileira em nossa cadeia de valor, estamos profundamente preocupados com os atuais desenvolvimentos no Brasil”, disse a gerente de comunicação global da Grieg, Kristina Furnes, ao site Intrafish. “O desmatamento precisa parar porque estamos em uma crise climática e porque precisamos proteger a biodiversidade.”

“É a primeira vez que a Cargill foi excluída por uma empresa norueguesa. A Nestlé já havia adotado medidas semelhantes contra a Cargill devido à falta de disposição da empresa em excluir a soja de áreas desmatadas de sua cadeia de fornecedores”, afirma Ida Claudi, conselheira da Rainforest Foundation Norway (RFN).

“É uma decisão muito importante para salvar florestas tropicais e uma ação ousada da Grieg Seafood. A Cargill deveria ouvir o que está sendo dito. Suas desculpas por não tomar medidas contra o desmatamento não são mais aceitas. Até a Cargill parar de negociar soja desmatada, seus clientes estão negociando com um vilão da floresta”, diz Claudi.

Um relatório identificou que, em 2018, a Cargill foi a segunda trader (comercializadora) de soja que mais exportou o grão dos 15 municípios com maior área de soja em fazendas associadas com desmatamento ilegal em Mato Grosso .

O estudo, publicado no mês passado, é da iniciativa Trase, focada em dar transparência para cadeias de produção de commodities (matérias-primas), e as ONGs ICV (Instituto Centro de Vida) e Imaflora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s