Brasil/Vacina

Vacina Sputnik V produzida no Brasil é exportada para América Latina, mas Bolsonaro não autoriza no Brasil

A matéria Do Correio do Povo que publico a seguir, deixa claro: A União Química já produz aqui Vacina contra COVID-19, mas Bolsonaro usa a ANVISA para se recusar a comprar a mesma vacina usada na Rússia e em outros lugares do mundo. Um dia serão revelados os interesses de Laboratórios internacionais que fazem Bolsonaro e Pazuello defenderem com unhas e dentes a Cloroquina, inútil para o tratamento da COVID, a não compra de Vacina de determinados laboratórios e não de outros. Bolsonaro, Pazuello e a corriola jogaram a vida dos brasileiros a própria sorte enquanto tentavam “negociar” ganhos para si próprios com laboratórios internacionais? Lembram da viagem a Israel de representantes do Governo, dos quais nenhum conhecedor de medicina, para “conhecer um Spray “anti covid” fabricado em Israel, que nem lá é autorizado? Seria oferecido aqui também como “tratamento precoce” . Pois é. Tem muito mais por trás dos crimes contra a vida e a humanidade cometidos por Bolsonaro e seu séquito de generais e milicianos.

Segue a matéria do Correio do Povo falando Sobre a Vacina SPUTNIK V produzida no Brasil e exportada para Argentina, México e outros países.

Enquanto isto, nos faltam as vacinas e por conta da irresponsabilidade dos Governantes, as flexibilizações vão nos levar a 3ª onda de COVID, como já começa a aparecer naquele gráfico mostrado todos os dias no JN e falado por 10 entre 10 técnicos na área.

Primeiro lote da Sputnik V produzido no Brasil será exportado para América Latina

Imunizante será enviado à Argentina e México que, diferente do Brasil, têm aprovação para uso

Imunizante será enviado à Argentina e México que, diferente do Brasil, têm aprovação para uso

O Instituto Gamaleya, da Rússia, anunciou que foi concluída nesta quinta-feira, 20, a produção do primeiro lote da vacina contra a Covid-19 Sputnik V no Brasil. Fabricadas em planta da União Química em São Paulo, as doses serão exportadas a países da América Latina que já aprovaram o uso do imunizante, como Argentina e México. Em publicação no perfil oficial da Sputnik V no Twitter, o Instituto informou que as vacinas deverão passar por controle de qualidade antes da exportação.

A vacina russa ainda aguarda a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para seu uso no Brasil. Negado em um primeiro momento, o pedido para a administração em caráter emergencial foi questionado por técnicos do órgão, que alegaram dados insuficientes para a aprovação. Os desenvolvedores do imunizante negam qualquer problema na segurança da vacina.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s