Uncategorized

As entrelinhas do discurso de Levy

Joaquim Levy foi falar a empresários paulistas num convescote da Revista Isto É. Aliás, a quem mais Levy fala, além de banqueiros e empresários? E já foi logo falando que “a estratégia de crescimento do governo federal é muito clara e que as medidas tomadas para atingir o reequilíbrio cíclico estão produzindo resultados, mesmo que não estejam visíveis” . Visível esta o aumento da taxa de desemprego (que ainda é dos mais baixos do mundo mas já é bem maior que era antes) e perda de 3,5% no poder aquisitivo dos trabalhadores nos primeiros 8 meses do ano. Talvez ele quisesse dizer que os resultados estão visíveis para os biliardários rentistas, que com a taxa SELIC e os juros nas alturas, acabam ganhando mais dinheiro ainda do próprio governo, a título de “juros e serviços da dívida pública”. Enquanto o “visionário” Levy dava visibilidade aquilo que é invisível aos trabalhadores, alguns estafetas seus tratavam de tentar desconstituir o PRONATEC em uma entrevista coletiva em Brasília, apresentando um “estudo” questionável utilizando método econométrico para medir uma política pública e social. (Quer saber o que é econometria? Clica aqui)

Tá achando que é grego? Pois é fórmula econométrica e como diz sua própria nomenclatura, não serve para medir efeitos sociais, mas sim efeitos econômicos.

Tá achando que é grego? Pois é fórmula econométrica e como diz sua própria nomenclatura, não serve para medir efeitos sociais, mas sim efeitos econômicos.

E aí é que está. Levy disse com todas as letras no tal evento em SP, que o Governo deve funcionar como uma empresa. E ao mesmo tempo os seus assessores na tal entrevista coletiva diziam que o todos os demais programas sociais serão medidos pelos métodos econométricos.

“O ministro acrescentou que o setor empresarial está revendo seu processo e seus produtos, a fim de gastar os recursos com maior eficiência, e no governo não é diferente. Ele deu o exemplo dos gastos com previdência social, que seria uma das maiores despesas do governo federal, e disse que identificou a necessidade de diminuir despesas em relação ao auxílio-doença. Segundo ele, o gasto do Brasil com auxílio-doença é muito acima de outros países e a eficiência no emprego desses recursos exige gestão, pois “Uma parte importante da economia é gestão”.

Já arrochou o Seguro Desemprego exatamente no período onde o emprego começa a cair. Agora sinaliza que vai mexer no Auxilio Doença. Seria correto, se o objetivo fosse moralizar. Mas assim como as medidas do início do ano, com relação a Seguro Desemprego e outras, seu objetivo é “economizar”, como ele mesmo afirma.

Mas ele já sinaliza que vai avançar mais sobre os programas sociais: Ele disse que “somos um país com grandes desequilíbrios na distribuição de renda. Há um papel para gastos sociais. Mas será que esses gastos sociais estão trazendo o resultado esperado? Esses são os desafios”.

É isto: Lula considerava o dinheiro destinado aos programas sociais como Bolsa Família, PRONATEC, PROUNI, Minha Casa Minha Vida, etc… como investimento. Já na fala de Levy estes mesmos recursos viram gastos. Colocar dinheiro pra melhorar um pouco as condições de vida dos pobres, agora virou gasto e como é gasto e Levy quer o Brasil funcionando como empresa, ele vai fazer os “estudos” necessários para reduzir ou até eliminar os gastos. E se na empresa sobra dinheiro para o lucro do empresário, no Estado sobrará dinheiro para…pagar juros aos banqueiros. É por isto que os estafetas de Levy usam estudos econométricos para medir a “eficiência” dos programas sociais: para justificar a redução dos…gastos.

Não sou economista. Mas lembro bem da eclosão da crise de 2008 do capitalismo internacional. E lembro bem o que Lula fez: mandou baixar os juros, ampliar os programas sociais de transferência de renda e a consequência foi o aumento do mercado interno, e o Brasil ao contrário do restante do mundo ocidental, foi gerando milhões de empregos a mais.

Levy deu um “cavalo de pau” num transatlântico. É preciso reequilibrar o navio. E isto não será possível se o governo continuar achando, ou deixar Levy achar e conduzir o país como se fosse uma empresa. O navio talvez até fique equilibrado, mas por que os pobres e os trabalhadores terão voltado a ser presos no porão do navio. É preciso reequilibrar o navio sim, mas garantindo que todos possam estar no convés. E isto é perfeitamente possível. Basta distribuir as tributações e também os avanços de forma equânime e justa.  Simples assim.

Com informações da Agência Brasil

2 pensamentos sobre “As entrelinhas do discurso de Levy

  1. Pingback: Documento “Por um Brasil Justo e Democrático” contesta ajuste regressivo de Levy | Luizmuller's Blog

  2. Pingback: Contraponto necessário: Ministra Tereza Campello defende programa criticado pela Fazenda | Luizmuller's Blog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s