Uncategorized

Temer retira urgência de lei anticorrupção. Poder é o que interessa, o resto não tem pressa

POR  no TIJOLAÇO

 benett

 

Não tem sentido chamar Michel Temer de hipócrita.

Não é mais a palavra certa, antes de completar dois meses, merece outra definição: descarado.

A decisão de retirar a urgência legislativa do pacote de medidas moralizadoras enviado por Dilma à Câmara – criminalização do caixa dois de campanha ou de atividades partidárias, alteração do Código Penal para tornar indisponíveis recursos de origem ilícita e a tipificação de enriquecimento de servidores públicos sem comprovação da origem do patrimônio como crime – não merece outro nome.

Sem urgência, os projetos, na prática, morrem, porque ficam sujeitos a rolar e rolar sem data de decisão pelas comissões da Câmara. Quando e como chegarão à decisão de plenário, só Deus sabe.

Será que os engravatadinhos do Ministério Público agora viram quem se dispunha a trabalhar para limpar a crônica corrupção ?

Será que a turma da Avenida Paulista viu nas mãos de quem entregou o país?

Já viram e mesmo os mais tolos não podem ter deixado de constatar depois do circo da votação da autorização do processo do impeachment, sob a batuta do honestíssimo Eduardo Cunha.

É verdade que muitos estão calados e que o que sobrou foram apenas os núcleos fascistoides.

Mas está evidente que a corrupção era apenas o discurso fácil.

Mais do que Temer, um oportunista de terceira categoria, vaidoso, fútil e que acha que a política é a arte da esperteza, são eles que merecem o nome de hipócritas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s