Uncategorized

Professores do ensino particular decidem participar da greve geral do dia 11

simpro

Os professores de instituições de ensino particulares definiram no último sábado que irão paralisar as atividades na próxima sexta-feira, dia 11, no Dia Nacional de Greve organizado pelas principais centrais sindicais do país. Reunidos pelo Sinpro/RS, sindicato que representa os professores de todos os níveis e modalidades do ensino privado do Rio Grande do Sul, os educadores manifestaram-se formalmente contra políticas do governo Michel Temer.

“A solução dos problemas econômicos e sociais do país não passa pelo aprofundamento das desigualdades e injustiças sociais”, destacou o professor Marcos Fuhr, diretor do Sindicato dos Professores do Ensino Privado. “As iniciativas do governo federal impactam profundamente no trabalho dos professores”, completou.

Os professores do sindicato são contra a PEC 241/55, que congela por 20 anos o orçamento da União, à MP 746, que reforma o ensino médio; às iniciativas legislativas e judiciais que autorizam a terceirização das atividades-fim e a proposta da reforma da previdência, que estabelece a idade mínima de 65 anos para aposentadoria.

Na assembleia, também foi aprovado o apoio dos professores ao movimento de ocupação das escolas pelos estudantes do Rio Grande do Sul, que tem uma pauta de reivindicações semelhante à da categoria. O Dia Nacional de Greve foi organizado pelas centrais sindicais para protestar contra as decisões tomadas pelo governo do presidente Michel Temer (PMDB) que, segundo elas, estaria “roubando” os direitos dos trabalhadores e dos cidadãos.

Do Correio do Povo

2 pensamentos sobre “Professores do ensino particular decidem participar da greve geral do dia 11

  1. QUEM BATE, ESQUECE. QUEM APANHA, NÃO ESQUECE JAMAIS. UM DIA A GENTE DESCONTA TUDINHO!
    > https://gustavohorta.wordpress.com/2016/11/06/quem-bate-esquece-quem-apanha-nao-esquece-jamais-um-dia-a-gente-desconta-tudinho/

    “…Como bandidos, policiais invadiram a Escola Nacional Florestan Fernandes pulando o muro e a janela da recepção do prédio. “Demonstração covarde e truculência típica de regime de exceção”, disse Wagner Moura sobre o incidente. Confira como foi a ação em fotos e vídeos.

    …Os policiais pularam o muro e a janela de recepção do prédio e entraram atirando para cima. Foram utilizadas munições letais. Duas pessoas foram detidas na escola.

    “O MST repudia a ação da polícia de São Paulo e exige que o governo e as instituições competentes tomem as medidas cabíveis nesse processo. Somos um movimento que luta pela democratização do acesso a terra no país e a ação descabida da polícia fere direitos constitucionais e democráticos”, diz o comunicado dos Sem Terra.

    Para o MST, a operação reafirma a “tese de que movimentos sociais são organizações criminosas, já repudiado por diversas organizações de Direitos Humanos e até mesmo por sentenças do STJ”.

    “Covardia típica de regime de exceção”…””

  2. Pingback: Professores do ensino particular decidem participar da greve geral do dia 11 | Luíz Müller Blog | BRASIL S.A

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s