Uncategorized

Denúncia: Sartori trama descaradamente a privatização da CEEE e das demais estatais

Notícias negativas sobre a empresa, veiculadas pela RBS, grande mídia e pelas redes sociais fazem parte da tramoia de Sartori, que pretende convencer o povo a entregar a CEEE, CORSAN, CRM,SULGÁS e até o BANRISUL a iniciativa privada ou ao Governo Temer, para que este venda as mesmas.

O problema é que o povo precisa ser melhor informado sobre as benesses que as Empresas Estatais trazem para a população. A discussão não pode ser só econômica, até por que, Energia, Água e  Banco são estratégicos e fundamentais para o desenvolvimento de um Estado.

A Batalha a ser travada é na Comunicação e na Informação. Sartori tem a máquina publicitaria da RBS e de suas irmãs menores. Já os desenvolvimentistas, se quiserem vencer eta batalha, precisarão montar rapidamente redes de comunicação, seja via internet, seja via presença física mesmo, e produzir conteúdo para mostrar a importância das Estatais na vida de cada gaúcho.

Veja a seguir, ou clicando aqui,matéria do Correio do Povo onde aparece claramente a pretensão de Sartori . Ele vai tentar enrolar com papo técnico, por que não tem nenhuma justificativa política ou econômica para vender a CEEE, CRM, SULGÁS, CORSAN, etc…

Reuniões sobre privatização da CEEE geram conflito com técnicos da empresa

Servidores da companhia acusam integrantes do governo de difundir notícias negativas da empresa

Governo também contratou empresa externa para avaliar o valor da CEEE no mercado | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

Governo também contratou empresa externa para avaliar o valor da CEEE no mercado | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

O governo do Estado decidiu intensificar as ações para convencer a população e aliados da necessidade de privatização da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), abrindo uma guerra com o corpo técnico da companhia. Na semana passada foram realizadas duas reuniões, na segunda e na quinta-feira, entre integrantes do núcleo do governo, o diretor-presidente e os seis diretores do grupo CEEE, com o objetivo de estabelecer uma estratégia que atenda ao pretendido pelo Executivo, que deseja ofertar a Companhia como parte das contrapartidas para aderir ao Plano de Recuperação Fiscal proposto pelo governo federal. Participaram da reunião os secretários da Casa Civil, Fábio Branco; da Fazenda, Giovani Feltes; do Planejamento, Governança e Gestão, Carlos Búrigo; e de Minas e Energia, Artur Lemos; além do líder do governo na Assembleia, deputado Gabriel Souza (PMDB).

No encontro de quinta ficou definido que as reuniões do núcleo do governo com os diretores serão semanais. Também foi estabelecido que todas as decisões de gestão da CEEE deverão passar do colegiado da companhia para este grupo de secretários e diretores, mas os últimos não terão a palavra final sobre as ações. Entre as mudanças previstas estão o fechamento de gerências regionais, a possibilidade de atraso e parcelamento de salários de servidores e o pagamento de fornecedores nos prazos limite.

A partir dos novos encaminhamentos, integrantes do corpo técnico da CEEE passaram a divulgar as ações em textos detalhados publicados em grupos de WhatsApp e Facebook. Nos textos, os técnicos acusam o governo de estar tentando enfraquecer a companhia e barrando a divulgação de notícias positivas com o objetivo de gerar descontentamento entre consumidores para facilitar o apoio a privatização. E assinalam a postura enfática de Souza em determinar ações que destaquem aspectos negativos da manutenção do controle do Estado sobre a companhia.

Na última segunda-feira a direção da CEEE divulgou uma nota oficial de duas linhas em seu site para rebater as informações. Conforme o texto “A direção da CEEE nega com veemência versões que circulam nas redes sociais sobre conteúdo de uma reunião entre a direção da empresa e o núcleo de coordenação do Governo do Estado.” A nota diz ainda que “ao contrário dos boatos, todos os encontros visam reforçar as melhorias na gestão da empresa e encontrar uma solução estrutural para sua sustentabilidade. Refutamos a disseminação de notícias falsas, que só prejudicam o cotidiano da companhia”.

O governo contratou uma empresa externa para avaliar o valor da CEEE no mercado e, ainda, qual o montante resultante da venda das participações nas sociedades de propósito específico (SPEs). Os estudos ainda não foram concluídos. O corpo técnico da companhia, por sua vez, fez seus próprios levantamentos. Conforme eles, a CEEE pode arrecadar entre R$ 2 bilhões e R$ 4 bilhões com a venda das participações nas SPEs, de forma a sanar as dificuldades financeiras da empresa. A CEEE Distribuição também tem pronto um planejamento para combate às perdas. As estimativas iniciais dão conta de que seria possível recuperar até R$ 200 milhões ao ano caso o plano seja implantado. No mês passado a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) classificou a CEEE como a quarta melhor companhia do país na avaliação dos clientes e a primeira em termos de fidelidade dos clientes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s