Cervejas

Cervejarias gaúchas brilharam no Concurso Brasileiro de Cervejas 2017

cervejas-premiadas

Uma de cada quatro medalhas foi conquistada por cervejas de marcas do RS

Este blogueiro tem comentado semanalmente aqui sobre cervejas artesanais. Cervejas artesanais são contraponto a a homogeneizada bebida de “cereais não maltados” produzidos pela AMBEV . E a gauchada pode ter orgulho das cervejas que produz. Este blogueiro sabe, que são os pequenos que geram emprego e renda pra muito mais gente. Já seria uma boa razão para falar aqui no Blog. Melhor ainda, se estes pequenos são produtores de cervejas que estão entre as melhores do Brasil. Por isto tenho compartilhado artigos com os leitores do Blog sobre as minhas impressões das artesanais que tomo. E também reproduzo artigos de outras fontes, para mostrar a importância das Cervejas Artesanais para a Economia e a Cultura regionais. O artigo a seguir é da BEER ART – PORTAL DA CERVEJA BEER ART – PORTAL DA CERVEJA:

Um dos principais polos de cerveja artesanal no Brasil, o Rio Grande do Sul reafirmou essa vocação no Concurso Brasileiro de Cervejas 2017. Além de ter a Tupiniquim, de Porto Alegre, tricampeã como cervejaria do ano, o estado foi o que concentrou o maior número de medalhas (58), entre as 256 distribuídas. Em 2017, a geografia da premiação segue uma lógica sulina: em segundo lugar fica Santa Catarina (51 medalhas), em terceiro Paraná (47) e em quarto São Paulo (46). Depois, vêm Rio (21), Minas (20), Pernambuco (4), Pará (3), Goiás e Mato Grosso (2) e Espírito Santo e Mato Grosso do Sul (1).

Entre as marcas gaúchas, chama a atenção o polo do bairro Anchieta, o metro quadrado mais dourado do mercado de cerveja artesanal no Brasil. Além da Tupiniquim, dali também foram premiadas na edição 2017 do concurso a Babel, a Seasons e a Baldhead. Além delas, cervejarias de outros pontos do Rio Grande do Sul foram premiadas.

Em segundo lugar entre os estados mais premiados, Santa Catarina somou oito ouros, 22 pratas e 21 bronzes. A Lohn Bier, de Lauro Müller, foi a catarinense que levou o maior número de ouros, com dois: Carvoeira Wood Aged e Trippel. Também levaram medalhas douradas Antídoto Cervejaria, Armada Cervejeira, BierlandBierbaumSchornstein e Das BierCerveja Blumenau e Bierbaum empataram com o maior número de medalhas: cinco cada uma.

O presidente da Associação das Cervejarias Artesanais de Santa Catarina (Acasc), Carlo Lapolli, destaca:

“Temos premiadas com mais de 10 anos e outras que foram lançadas no último mês. Isso mostra que as marcas locais trabalham para manter qualidade e, ao mesmo tempo, o mercado está inovando não só com novas cervejarias, mas também com as mais antigas lançando novos produtos e conceitos.”

Santa Catarina tem mais de 50 marcas de cerveja que, juntas, produzem mais de 1 milhão de litros por mês de acordo com uma pesquisa da entidade. De 2013 para 2016, o número de marcas triplicou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s