Educação

UFSC decreta greve geral, suspende vestibular e rejeita Future-se

A UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) realizou uma assembleia e decretou greve geral, além da suspensão do vestibular e total rejeição ao Future-se, projeto do govern federal que precariza o ensino superior público. O temor no governo é que o movimento se alastre e tome conta de toda a estrutura federal de ensino superior.

Brasil 247 – A UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) realizou uma assembleia e decretou greve geral, além da suspensão do vestibular e total rejeição ao Future-se, projeto do govern federal que precariza o ensino superior público. O temor no governo é que o movimento se alastre e tome conta de toda a estrutura federal de ensino superior.PUBLICIDADE

ASSEMBLEIA UNIFICADA DA UFSC APROVA GREVE GERAL, SUSPENSÃO DO VESTIBULAR E REJEIÇÃO INTEGRAL AO FUTURE-SE

Cerca de cinco mil pessoas, entre professoras/es, estudantes e técnicos, participaram da assembleia unificada da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), na noite desta segunda-feira (2), no auditório Garapuvu, em Florianópolis. Além de superlotar o maior auditório da universidade, participantes da assembleia também ocuparam o lado de fora do Centro de Cultura e Eventos da UFSC. 

Parte do calendários de luta, que foi estabelecido através da pressão dos estudantes frente ao bloqueio de recursos à universidade, a assembleia deliberou rejeição integral ao projeto Future-se do Governo Federal, apoio à ocupação na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) contra o interventor que foi admitido de forma arbitrária pelo Governo Federal, carta de exigência de readmissão dos funcionários terceirizados demitidos pela UFSC desde o início do ano, suspensão do vestibular 2020 até a liberação dos recursos cortados, adesão à mobilização nacional “Grito dos excluídos”, chamada pela UNE em 7 de setembro, formação de um Comitê para mobilizar a comunidade externa em defesa da UFSC e proposta de greve geral com todas as instituições educacionais. 

Para esta terça-feira (3) está prevista uma reunião do Conselho Universitário (CUN), no mesmo auditório, que através da pressão estudantil ocorrerá em sessão aberta para deliberar sobre o Future-se. A comunidade universitária se posicionou contra o projeto Future-se na íntegra, pois havia possibilidade de um “projeto alternativo”, proposto pela reitoria. O reitor Ubaldo Cesar Balthazar, que estava na composição da mesa, se posicionou em apoio à ocupação contra o interventor admitido de forma arbitrária na UFFS. 

Cerca de 30 pessoas fizeram intervenções para debates e encaminhamentos à universidade. Todas as medidas foram aprovadas por maioria. A suspensão do vestibular foi o ponto mais delicado da pauta: não houve consenso e a votação ocorreu sob tensão. Ao fim, a maioria optou por suspender o vestibular caso não haja melhorias das condições institucionais. A UFSC, porém, se manifestou por meio das redes sociais informando que o vestibular 2020 está confirmado. “O vestibular é ato administrativo regular, regido pelo Conselho Universitário”. 

A greve geral dos setores da UFSC está prevista para iniciar em 10 de setembro, até quando as bases e categorias devem construir a adesão. O movimento estudantil está articulado em várias frentes como o UFSC contra o Future-se, além disso foram criadas comissões como o UFSC na Praça e o grupo de trabalho de mobilização para a greve. 

Além no corte nas bolsas de estudo, entre os retrocessos com o bloqueio de verbas está o cancelamento das atividades do restaurante universitário que deve funcionar somente até o dia 15 de setembro. Depois desta data, o acesso será possível somente para estudantes de baixa renda. 

“O que mais ouvimos na assembleia é que é necessária uma radicalização do movimento estudantil, não só para conter o Future-se, mas para que todos esses retrocessos sejam desfeitos”, relatou a doutoranda em antropologia Cauane Maia.

“Havia muita gente, o dobro da capacidade do auditório, também havia muitas pessoas do lado de fora. Foi colocado telão e quem estava do lado de fora teve poder de voto. A assembleia foi gigante, a maior que já presenciei desde 2010. Pelos relatos de colegas também foi uma assembleia muito grande”, afirmou Maia. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s