Uncategorized

Nordeste eleva tom em oposição a Bolsonaro, recorre à China e cria comitê científico

Governadores da região acusaram governo federal de omissão diante da crise e anunciaram parcerias com o governo chinês

Vinícius Sobreira no Brasil de Fato Pernambuco

Nesta segunda-feira (30) foi oficializado um comitê científico do Consórcio Nordeste para subsidiar os governos estaduais no enfrentamento à pandemia da covid-19 – Roberta Aline

O Consórcio Nordeste, que reúne os nove estados da região, divulgou nova carta elevando o tom das críticas ao governo federal e ainda anunciaram parceria com a China, alvo de críticas e teorias conspiratórias disseminadas por familiares do presidente.

Os governadores já haviam divulgado uma carta, em tom mais brando, assim como os secretários estaduais de saúde. Na última semana, o presidente Jair Bolsonaro fez falas públicas criticando a quarentena e atacando as medidas de isolamento social adotadas pelos governos estaduais.

Bolsonaro acredita que, se a sociedade brasileira mantiver sua vida “normal”, a economia não será tão prejudicada – apesar de os cientistas e organismos internacionais alertarem que isso trará muito mais mortes.
 
No documento mais recente, o Consórcio Nordeste sobe o tom em relação à omissão federal e afirma que “na ausência efetiva de coordenação nacional (…), buscaremos avançar na integração regional e com as demais regiões”, aponta o texto.

Os governadores ressaltam ainda que o Congresso Nacional (Câmara e Senado Federal) devem assumir papel decisivo neste momento. Eles também rebateram as falas de Jair Bolsonaro contra o isolamento social, reforçada pela campanha do Governo Federal intitulada “o Brasil não pode parar”.

A carta, intitulada A favor da vida, afirma “profunda indignação com a postura do governo federal, que contraria orientação de entidades de reconhecida respeitabilidade, como a OMS”.

Sobre as críticas de Jair Bolsonaro aos governadores e prefeitos, a carta é dura.

“Exigimos respeito por parte da Presidência da República, esperando que cessem imediatamente as agressões contra os governadores, assumindo um posicionamento institucional com seriedade sobre medidas preventivas”, ressalta.

O documento aponta ainda que a omissão por parte do governo federal em cumprir seu papel de coordenador e a insistência em criar conflitos acaba dificultando a padronização de medidas unitárias nos estados e prejudicando a vida da população.

Os gestores também garantem manter “bom senso e equilíbrio” e seguir “orientados pela ciência e experiência mundial” para que ações preventivas e protetivas tenham intensidade gradual de acordo com cada região do estado.

Os governadores nordestinos anunciaram que buscarão apoio de entidades representantes de médicos, infectologistas e também do Ministério Público para fortalecer politicamente as medidas governamentais, criticadas por Bolsonaro.

Nesta segunda-feira (30) foi oficializado um comitê científico do Consórcio Nordeste para subsidiar os governos estaduais no enfrentamento à pandemia da covid-19.

Integram o grupo médicos, cientistas e pesquisadores, que têm a tarefa de manter reuniões periódicas com seus pares a nível internacional (prioritariamente da Itália, Alemanha e China) para pensar soluções para frear o contágio nos estados nordestinos.

O comitê científico também divulgará boletins com os números da região e orientações para a população. Por enquanto são apenas 13 membros, sendo um indicado por cada um dos nove estados e quatro convidados, entre os quais o neurocientista paulista Miguel Nicolelis e o físico fluminense Sérgio Machado Rezende, ex-ministro da Ciência e Tecnologia.

Negócio da China

Sem confiança no governo federal, diversos governadores – entre os quais os nove estados do Nordeste, por meio do Consórcio – têm solicitado informações à Embaixada da China sobre o enfrentamento ao coronavírus, assim como possibilidades de ajuda material.

Na última sexta-feira (27) o Consórcio Nordeste anunciou a compra de 350 mil testes rápidos para ajudar no mapeamento e controle do coronavírus.

No estado de Pernambuco os testes têm sido produzidos pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Pernambuco (Lacen), do governo estadual; e pelo laboratório privado Genomika, através de parceria com o Laboratório de Imunopatologia Keiko Asami (Lika/UFPE).

Nacionalmente, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que no estado tem parceria com a Universidade de Pernambuco (UPE), tem produzido os testes.

Para atender a população de rua, o governo de Pernambuco liberou R$1,4 milhão a serem divididos entre os 184 municípios (mais Fernando de Noronha), distribuídos de acordo com o tamanho da população de cada município.

Batizada de Pernambuco Solidário, a campanha do governo estadual ainda pretende abrir a possibilidade de receber doações e mobilizar voluntários nas periferias.

As ações serão coordenadas pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, encabeçada pelo presidente estadual do PSB, Sileno Guedes.

O secretário afirma que há 240 mil famílias em situação de pobreza e extrema pobreza no estado. Na região metropolitana serão instalados “pontos de cuidados” para atendimento às pessoas em condições de rua, além de uma parceria com a Central Única das Favelas (Cufa) com mobilizadores sociais em periferias do estado.

Edição: Leandro Melito e Monyse Ravena

Um pensamento sobre “Nordeste eleva tom em oposição a Bolsonaro, recorre à China e cria comitê científico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s