Brasil/Educação/Rio Grande do Sul

Entidades do RS preparam Conferência Estadual e Popular de Educação (CONEPE) com foco na defesa da escola pública

Em reunião nesta sexta-feira (18), o CPERS e demais entidades que integram o grupo de mobilização da Conferência Estadual e Popular de Educação (CONEPE/RS) debateram a luta e firmaram a resistência em defesa da educação pública, laica e de qualidade.

Do CPERS SINDICATO

A proposta é que se articule uma agenda de mobilizações que antecedam a Conferência Nacional Popular de Educação (Conape), a ser realizada em julho de 2022, no Rio Grande do Norte, com instituições de todo o país.

Após encontro realizado ainda em maio com cerca de 40 entidades da educação e movimentos do Rio Grande do Sul para dar início à organização da CONAPE 2022 – Etapa Estadual no RS, foi elaborada a constituição da coordenação colegiada com a incumbência de mobilizar o estado para constituir o Fórum Estadual Popular do RS e realizar uma agenda de mobilizações regional em defesa do ensino público.

“Estamos nos organizando para apresentar uma proposta de calendário aqui no Rio Grande do Sul com todo o preparo de lançamento de mobilização no estado. Nossa articulação é muito importante por essa força popular e mobilizadora que o grupo vem mantendo”, afirmou Sônia Ogiba, diretora de Comunicação da ADUFRGS-Sindical.

A comissão colegiada foi formada por entidades e movimentos populares, incluindo o CPERS, ADUFRGS-Sindical, CTB-RS, CUT-RS, UJS e Fórum EJA-RS, que já participaram da primeira Conferência Nacional Popular da Educação (Conape), em 2018, e articulam a luta com uma série de atividades até o Conape 2022.

O grande homenageado será Paulo Freire e seu legado, cujo centenário ocorre em junho deste ano. 

Participei do primeiro Conape, em 2018. Temos vários temas importantes para 2022. Neste ano em que se comemora o centenário de Paulo Freire, precisamos estar nos organizando com conferências livres, em várias frentes. Nesse momento de organização e mobilização, esse espaço de diálogo é fundamental”, destacou a diretora do departamento de Educação do CPERS, Rosane Zan.

“Pensamos que esse é o momento de dar um pontapé inicial no Fórum Estadual de Educação Popular, construindo uma grande mobilização e trazendo cada vez mais instituições e colegas que têm na sua militância a defesa da educação, que é fundamental na constituição da nossa nação”, afirmou Fabiane Pavani, a diretora da União Brasileira de Mulheres (UBM).

As entidades e suas representatividades pretendem fazer um movimento interno para que se organize a Conferência Estadual e proponha um cronograma a partir das contribuições de todos. O próximos passos de mobilização e luta serão definidos em um novo encontro virtual, no dia 9 de julho.

Histórico

A origem da Conferência Nacional Popular de Educação (Conape) marca um momento singular da luta pela educação pública, gratuita, laica, democrática, inclusiva, libertadora, antirrascista, feminista e de qualidade socialmente referenciada. 

Para Paulo Freire, toda educação é política – e não existe neutralidade. Enquanto a missão da “educação bancária” é eliminar a capacidade crítica dos alunos e acomodá-los à realidade, a “educação problematizadora” quer despertar a consciência dos oprimidos, inquietá-los e levá-los à ação (libertação).

A Conape é uma criação do Fórum Nacional Popular de Educação (FNPE) em reação aos ataques que os governos Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (ex-PSL) impuseram ao País contra a educação pública. O FNPE é responsável pela organização da Conape e conta com a participação de mais de 40 entidades representativas dos movimentos ligados à educação e sindicatos. O FNPE representa centenas de milhares de pessoas.

Importante destacar, também, que as conferências municipais, intermunicipais, territoriais e/ou regionais serão realizadas preferencialmente no primeiro semestre de 2021, e debaterão o Documento-Referência o e as problematizações, formularão propostas, as quais serão encaminhadas para debate nas conferências estaduais, no prazo estabelecido pelos fóruns estaduais/comissões organizadoras estaduais.

As conferências municipais, intermunicipais, territoriais e/ou regionais elegem delegadas e delegados para a Etapa Estadual/Distrital, nos limites estabelecidos pelo Fórum/Comissão no estado e, as Etapas Estadual/Distrital, por sua vez, elegem delegados para a etapa nacional, prevista para 2022.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s