Uncategorized

TRANSITO: PORTO ALEGRE NA CONTRAMÃO

 Por Luiz Müller

Vereador de Porto Alegre quer mais carros no centro...

 O trânsito no centro de Porto Alegre esta ficando “intransitável”. Nos últimos 8 anos aumentou muito o número de automóveis. Apesar da crise internacional, uma competente política econômica possibilitou que muito mais pessoas tivessem acesso a carros e a outros bens de consumo. Bom para a economia e bom para geração de empregos. Mas é bom para a cidadania e a cidade? A julgar pelo trânsito lento no centro da cidade, pela dificuldade em estacionar, pelo custo do estacionamento, pelos acidentes e pelo stress gerado esta confusão, nem sempre a economia funciona de mãos dadas com as condições de vida da cidadania. Além de significar o acima descrito para os cidadãos e cidadãs, mais automóveis significam mais poluição. Mais poluição significa deterioramento das condições do ar e, ao longo do tempo, também prejuízo para prédios históricos, que se deterioram com os efeitos desta poluição. Na Europa muitas cidades tem tratado este tema de forma bem simples. Limitam a circulação de automóveis privados pelo centro das cidades. No centro histórico de Florença por exemplo, só é possível andar de bicicleta, ônibus, a pé ou de táxi. No mais, os carros privados podem circundar a cidade em avenidas “perimetrais” que circundam a cidade. Em Londres há cobrança de pedágio para circular no Centro e o estacionamento nas ruas é proibido. Circulam livremente táxis, ônibus, bicicletas, metrô e pessoas a pé. Em muitas cidades do mundo esta acontecendo a mesma coisa. Mas em Porto Alegre um Vereador resolveu propor o incentivo de mais automóveis no centro. Um projeto prevê a construção de Estacionamentos subterrâneos, incentivando mais ainda a vinda de carros ao centro da cidade, quando a lógica mundial, que busca diminuir o grau de poluição e melhorar o nível de vida das pessoas e cidadãos das cidades. As ciclovias, fora algumas raras exceções, não existem em Porto Alegre. Meritória a atitude da SMIC, que depois de pressão popular, resolveu instalar bicicletários no Mercado Público. Na verdade o vereador tenta resolver em Porto Alegre um problema que não é só da cidade, mas te toda a região metropolitana. Mais da metade dos carros que circulam aqui vem da região. Não se trata de gastar recursos públicos e privados para algo do que nos arrependeremos no futuro. Se trata de discutir um transporte coletivo de qualidade para a região metropolitana de Porto Alegre, que inclua ônibus com mais qualidade, transporte por barco, ampliação do metrô, etc… Não tem muita lógica um cidadão vir das cidades vizinhas e mesmo de bairros distantes de Porto Alegre para o centro dse carro, perder tempo, dinheiro e a paciência para circular e estacionar seu carro, que ficará estacionado lá o dia inteiro, se o transporte coletivo for de fato atrativo e os transportes alternativos, como bicicletas, por exemplo, sejam incentivados. Estamos chegando entre as principais economias do mundo. Bom pro Brasil e para os brasileiros. Mas se erros como estes, de valorização do fluxo de

...enquanto Europeus vão de bicicleta ao trabalho

 automóveis em pequenas áreas centrais, estão sendo revistos por países que já ocupam os primeiros lugares da economia mundial, vamos nós cometer o mesmo equívoco, mesmo sabendo que ele é prejudicial e que teremos que investir outros tantos bilhões para mudar, daqui a alguns poucos anos? Transporte Público de qualidade e ciclovias é o que porto Alegre precisa e não mais incentivo para automóveis.

10 pensamentos sobre “TRANSITO: PORTO ALEGRE NA CONTRAMÃO

  1. Pingback: Barbara Sobel

  2. Pingback: My Stand Up Radio » Blog Archive » Barbara Sobel

  3. Parabéns pelo artigo. Tens razão precisamos de ciclovias e um transporte coletivo ainda mais eficiente. Fiquei estarrecida a pouco com nota publicada na imprensa que da conta que o vereador Cechim defende estacionamentos subterraneos em sítios histórico de nosso centro.
    Jacqueline Sanchotene.

    Curtir

  4. Bah, disse tudo! Não faz sentido nenhum mesmo apostar em mais veículos e deixar totalmente de lado a poluição que eles causam e os transportes públicos (que podem ser de fato a solução). Eu escrevi há um tempo sobre algumas medidas que estão chegando aqui pra tentar diminuir esse trânsito caótico, mas as pessoas tem que se acostumar, é complicado… Dê uma olhada: http://ocapitaoplaneta.blogspot.com/2011/01/descongestionando-natureza.html

    Curtir

  5. Parabéns pelo texto, Luiz!
    Concordo plenamente com o que escreveste. Apesar de não morar em Porto Alegre, já verifiquei o tumulto que o trânsito provoca na cidade. Até aqui na minha, Santa Cruz do Sul, ocorrem congestionamentos, e o sufoco para encontrar estacionamento aumenta a cada dia. Maior investimento em transporte público e mais pessoas mudando seus hábitos, optando por ônibus ou bicicleta nos deslocamentos, com certeza deverá ser uma realidade também por aqui. Caso contrário, o estado de espírito e o de saúde de todos nós, com a falta de educação que existe no trânsito e com a crescente poluição provocada pelos carros, serão definitivamente prejudicados. Quem venham tempos melhores para as nossas crianças!

    Curtir

  6. Parabéns pelo texto, Luiz!
    Concordo plenamente com o que escreveste. Apesar de não morar em Porto Alegre, já verifiquei o tumulto que o trânsito provoca na cidade. Até aqui na minha, Santa Cruz do Sul, ocorrem congestionamentos, e o sufoco para encontrar estacionamento aumenta a cada dia. Maior investimento em transporte público e mais pessoas mudando seus hábitos, optando por ônibus ou bicicleta nos deslocamentos, com certeza deverá ser uma realidade também por aqui. Caso contrário, o estado de espírito e o de saúde de todos nós, com a falta de educação que existe no trânsito e com a crescente poluição provocada pelos carros, serão definitivamente prejudicados. Que venham tempos melhores para as nossas crianças!

    Curtir

  7. A administração Fogaça/Fortunatti (Fo-Fo como diz o Dr. Paulo Müzell) fez clara opção pelo transporte privado em detrimento do transporte público e, por consequência, dos pedestres. Observa-se uma grande quantidade de automóveis, somente com o condutor, atravancando as vias da cidade. Enquanto isso diminuem os usuários do transporte público e, como sequência lógica, as tarifas dos ônibus e lotações, sobem. Ou seja, a conta dessa balbúrdia vai para os mais pobres.

    Curtir

  8. Pingback: TRANSITO: PORTO ALEGRE NA CONTRAMÃO 2 « Luizmuller's Blog

  9. Pingback: Ciclista morre ao ser atropelado por caminhão na Capital « Luizmuller's Blog

Deixe uma resposta para Heverton Lacerda Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s