Uncategorized

Dilma e o grito dos abastados

Dilma Gool

Por Renato Uchôa (Educador)

Esse é o retrato, a faceta nua e crua, do Brasil democrático. A duras penas se implantando. Com avanços e recuos. Inclusive, no conjunto, para todos. Para os abastados que se afogam na riqueza e não aceitam as políticas sociais implantadas pelo PT e outros partidos, em função das camadas dominadas. Na maior parte, defendem ministros do Supremo que soltam estuprador, assassinos, banqueiros, contanto que sejam da escória branqueada e perfumada, e tenha trânsito livre nos cafés de Paris. A Europa é um terreiro para os cartões de créditos. Os aeroportos de vários estados estão lindos e funcionais. Que saiam as tropas de equinos, e venham milhares de turistas conhecerem as belezas do país. Da pequena e grande Paraíba ao Rio Grande do Sul, parceiro na Revolução de 30. De ponta a ponta. Como podem se comportar assim? É simples, o filósofo Cururu sintetiza: ocorreu com eles, mandam matar. Em sendo eles próprios, escondem. E nos últimos anos, querendo ou não, de acordo com a mentira propagada se estendendo do café, hora de dormir, pela imprensa sádica de plantão, distorce a realidade. Ou a verdade dos fatos. Redução da parcela da população em estado absoluto de pobreza. Tendência um tanto afirmada por economistas, sociólogos, educadores…, que não perderam a decência e a honradez, a população brasileira alcançou um nível de condições mais condignas. Contra as aves agourentas contratadas a peso de ouro. Não mostram mais apenas as unhas, sujas de sangue e preconceito, por anos de truculência no pelourinho. Traz, faz séculos, nas veias, o sangue “azul” que agora alimenta os instintos primitivos, selvagem ao extremo. A santa e pura ignorância da discriminação e intolerância. “Eles”, na maioria dos estádios, vão se comportar assim. Falar mal, xingar, agredir, denegrir, tentar tomar o poder de qualquer forma. Os espaços das Arenas, destinados, pelo preço dos ingressos, é da classe branca, ariana, nazista por excelência. Foi ocupado. Eis o traço característico das camadas dominantes e os lava-pés que gravitam na periferia delas e comem o sobejo. Carregam as pastas, abrem as portas dos carros luxuosos, pela subserviência. Não por educação. Passam até a língua no cisco do capô. São elas mesmas as causadoras históricas da opressão e miséria. Nem admitem que o PT, um partido tímido, acuado, de cócoras diante do crescimento e explosão latente das forças reacionárias, ainda assim, um bom gerente do Estado Burguês. Delas próprias. Desde a colônia, viveram do ócio benéfico à alma, estudam nas melhores universidades públicas gratuitamente. A não ser aqueles que nascem com as orelhas em pé e os pais riquinhos pagam as particulares. E não devemos por uma questão de princípios educacionais que eles paguem. A Universidade tem que ser pública gratuita e ter um padrão unitário de qualidade. “Pelo menos tentem “educar os monstros” gerados pela inerente educação familiar dos filhos dos deuses. Podem tudo. A crueldade contra as camadas dominadas um dia vai acabar. E já não é tarefa do PT. A vaia é uma manifestação de qualquer um, as agressões e xingamentos são para os fracos, para os covardes. A presidente do Brasil Dilma não precisa de respeito de quem não se respeita. É respeitada pelo povo brasileiro. Passado é presente de luta pela democracia , inclusive , para que os filhos dos “deuses” possam mostrar ao mundo o tipo de educação que têm.

 

Um pensamento sobre “Dilma e o grito dos abastados

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s