Uncategorized

Sem um pingo de vergonha e sem pedir desculpas aos brasileiros, Mídia desembarca da teoria do caos na Copa

images-cms-image-000378056Pescado do Brasil 247

A mídia familiar brasileira reconhece: seus leitores foram enganados nos meses que antecederam a Copa do Mundo de 2014. Sabe aquele bordão, o Imagina na Copa? Ou a teoria de que os estádios não ficariam prontos e haveria caos nos aeroportos? Era apenas terrorismo midiático, com óbvias intenções políticas.

Não é exatamente isso o que dizem os jornais deste domingo, mas, assim, poderia ser escrita a história de como grandes conglomerados de mídia desembarcaram da teoria do caos na Copa.

No Estado de S. Paulo, a reportagem de Lourival Sant’anna informa que “apesar de problemas, Copa vence o caos”. “Está tendo Copa sim e o Brasil não está fazendo tão feio”, diz o texto, sem esconder sua má-vontade com o próprio País. “O resultado é surpreendente: nos pontos em que se temiam mais problemas, como os aeroportos, o transporte e a segurança pública, as coisas estão indo relativamente bem”.

Na Folha, Nelson de Sá diz que “prenúncio de que Copa seria o ‘fim do mundo’ não aguentou três dias”. A reportagem, no entanto, transfere para a mídia internacional os ataques ao Brasil, como se veículos internacionais não formassem suas opiniões e consensos a partir do que recebem de informação da mídia nativa. “Do início do ano até a abertura da Copa do Mundo, a imagem do Brasil foi alvo de um ataque de histeria da mídia ocidental”, é a frase que abre a reportagem da Folha. Mas onde será que a mídia ocidental se informava sobre o Brasil?

Entre os profetas do caos que tiram o time de campo, até Veja, aquela que previa a entrega dos estádios apenas em 2038, deu uma guinada. Na capa deste fim de semana, o título “Só alegria até agora”. No entanto, na chamada de capa, a revista adverte que é melhor aproveitar a festa, “pois legado duradouro, esqueça”. Ou seja: como se estádios e aeroportos fossem desaparecer depois do Mundial.

A verdade, pura e simples, é que leitores foram enganados. E alguns que se deixaram enganados agora estão arrependidos, como a colunista Mariliz Pereira Jorge, da Folha, que caiu na esparrela do caos, deixou de tirar férias, de comprar ingressos e de aproveitar a #copadascopas. “Chega o ano em que a Copa é no Brasil. Sempre quis uma Copa no Brasil. Vou tirar férias, passar o mês viajando pelo país, assistir a todos os jogos possíveis, fazer festa na rua, me embebedar abraçada com gente desconhecida. Broxei junto com o clima anti-copa e não fiz nada para participar dela. Ela chegou e eu fiquei de fora”, disse ela (leia mais aqui).

3 pensamentos sobre “Sem um pingo de vergonha e sem pedir desculpas aos brasileiros, Mídia desembarca da teoria do caos na Copa

  1. No RS, um radialista de uma FM do grupo RBS pedia boicote a Copa à um mês e meio atrás. Semana passada, ouvi ele, desesperado, perguntar no ar se alguém não teria ingresso para vender pra ele. Hipocrisia, a gente vê por aqui.

    Curtir

  2. Pingback: Sem um pingo de vergonha e sem pedir desculpas aos brasileiros, Mídia desembarca da teoria do caos na Copa | Blog Porto Imagem

  3. Eu adoraria saber o que os jornalistas da revista francesa “Forbes” têm a dizer, após uma campanha negativamente agressiva ao Brasil e aos Brasileiros. Hoje, eles podem constatar que no Brasil todos estão sendo bem tratados e encontram tudo o que precisam, inclusive a gastronomia e “chuveiro para eles tomarem banho” também…A alegria está espalhada por toda a parte e os turistas prometem voltar. Teriam esses jornalistas também sido bem pagos pelos terroristas midiáticos? Parece que sim.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s