Uncategorized

Por uma comunicação pública livre de intervenções do governo

DoO Jornal de todos Brasis

Jornal GGN – A EBC elogiou, nesta quinta-feira (02), a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, em favor do mandato do presidente da agência, Ricardo Melo. Em nota oficial do Conselho Curador, a instituição reafirmou a “defesa incondicional da comunicação pública e da lei que criou a EBC”. Também em comunicado, o jornalista celebrou a decisão.
“Congratulo-me com esta manifestação de respeito ao primado da Lei e do Estado de Direto, base do mandado de segurança que impetrei”, disse Ricardo Melo, completando que recebeu a notícia com “serenidade”, por ter a “convicção” de que a liminar de Toffoli será mantida pelo Supremo. Em defesa, afirmou que foi “ilegalmente exonerado”, no dia 17 de maio pelo presidente interino Michel Temer, e que pretende continuar contribuindo para “fazer avançar o sistema público de comunicação”.
Para Melo, a missão legal e constitucional da comunicação pública é a “oferta de conteúdos comprometidos com os valores democráticos, o respeito aos direitos da cidadania, a pluralidade e a diversidade da sociedade brasileira”.
Com a decisão do ministro do STF, o jornalista pode reassumir seu mandato, de acordo com o previsto na Lei nº 11.652/2008, que rege a EBC.
Na nota publicada, o Conselho Curador ressalta que “neste momento de intranquilidade do país, o direito da sociedade a um sistema de comunicação pública protegido contra intervenções indevidas de governo e livre das imposições do mercado deve ser assegurado”.
O colegiado lembrou que nesta terça-feira (31) realizou uma reunião plenária, em apelo para que o Judiciário se manifestasse “na urgência que as circunstâncias exigem para que todos possam contribuir para a construção e o fortalecimento de um Brasil melhor, com uma comunicação mais democrática”.
Em sua decisão, Toffoli afirmou que a EBC não poderia “ficar a critério discricionário” do chefe do Executivo e que no Conselho – que teria a responsabilidade de uma exoneração de membros – “há nítido intuito legislativo de assegurar autonomia à gestão da Diretoria Executiva da EBC, inclusive ao seu Diretor-Presidente”.
Por fim, o ministro também destacou que a permissão de uma exoneração desse tipo poderia gerar a “subversão à própria natureza da autarquia especial, destinada que é à regulação e à fiscalização dos serviços públicos prestados no âmbito do ente político, tendo, por isso, a lei lhe conferido certo grau de autonomia”.
Leia aqui a decisão do ministro Dias Toffoli pela presidência de Ricardo Melo na Empresa Brasileira de Comunicações (EBC).

Um pensamento sobre “Por uma comunicação pública livre de intervenções do governo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s