Uncategorized

Dilma diz que tem votos contra impeachment, mas aceitará novas eleições se aliados pedirem

Do Jornal GGN

Jornal GGN – Após negar a informação de que haveria o “compromisso fechado” em torno de novas eleições como método para barrar o impeachment no Senado, a presidente afastada Dilma Rousseff (PT) explicou nesta quarta (29), em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar, que só aceitará a ideia se os senadores assim demandarem, e se houver a aprovação majoritária de movimentos sociais e outros aliados. “Não vou tomar essa iniciativa, como sendo minha”, disse.

Dilma ressaltou que a guerra do impeachment deverá, antes de qualquer coisa, ser travada no Senado e, se necessário, no Supremo Tribunal Federal, que eventualmente terá a responsabilidade de julgar o mérito do pedido de afastamento da presidente reeleita.

Dilma disse acreditar que possui, hoje, “votos o suficiente para barrar o impeachment”, mas que é muito “delicado” ficar apontando quem é contra o afastamento agora. “Ninguém pode dizer que todos que votaram pela admissibilidade votarão pelo mérito. Até porque muitos senadores votaram [a favor e disseram que foi excluisvamente pela aceitação do processo”, lembrou a presidente, que contabiliza 22 votos a seu favor.

Para barrar o impeachment, Dilma precisa de 28 votos. A equipe de Michel Temer divulga nos bastidores que tem entre 58 e 60 votos a favor do impeachment.

Na entrevista, Dilma disse ainda que está “avaliando uma carta de compromisso à Nação”. O primeiro compromisso, segundo ela, será com a democracia. Ou seja: qualquer que seja o desfecho da crise, a recondução da petista ao mandato que recebeu das urnas em 2014 é o primeiro passo.

“Hoje está sendo discutido se haverá proposta de plebiscito. A proposta tem que ser de um terço da Câmara e do Senado. O que é importante para mim é manter a unidade dos que me apoiam. São parlamentares, movimentos sociais, intelectuais, que têm opiniões diferentes. Se os 27 senadores propuserem isso [novas eleições] para mim, vou endossar. Mas eu não vou tomar essa iniciativa, como sendo minha. Em qualquer hipótese, para se afirmar a democracia, passa por um requisito: a minha volta à Presidência da República, com plenos direitos”.

 

 

2 pensamentos sobre “Dilma diz que tem votos contra impeachment, mas aceitará novas eleições se aliados pedirem

  1. PRIMEIRAMENTE, ‪#‎FORATEMER‬

    Tem nada não: Lutar sempre. Vencer, talvez. Desistir jamais!
    >> https://gustavohorta.wordpress.com/2016/04/17/tem-nada-nao-lutar-sempre-vencer-talvez-desistir-jamais/

    “Não podemos desistir. A luta continua e continuará sem nos conformar com este golpe que se apresenta. “De novo, a Presidente Dilma afirmou que “não sobraria pedra sobre pedra” e de fato, é o que ocorre. E, por conta disto, por conta de expor os podres da politicagem cretina à nação e ao povo, ele é execrada. A única pessoa que não tem nenhuma investigação a pairar sobre sua cabeça, a única honesta neste covil. E o comando do covil, e seus asselas, é que tendem a definir se ela pode ou não governar o Brasil!””

  2. Pingback: Dilma diz que tem votos contra impeachment, mas aceitará novas eleições se aliados pedirem — Luizmuller’s Blog – PALAVRORIO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s