Uncategorized

EPISTEMICÍDIO: MONOCULTURALISMO E A DESTRUIÇÃO DOS SABERES

Sustentabilidade e Democracia

medicina-indigenaFoto: Medicina dos Índios, de Wesley Aragão de Moares

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais.

Quem sou eu? Que importa quem?

Sou um trovador proscrito,

que trago na fronte escrito

esta palavra “Ninguém”!

(Luiz Gama, “Quem sou Eu?”)

 Quando falamos em crise ecológica global é comum a análise científica limitar-se à perda de biodiversidade e aos efeitos climáticos. Há um predomínio do pensamento parcelar, que desconsidera aquilo que o mexicano Enrique Leff cunhou pelo termo “complexidade ambiental”. Apesar de todas as provas em contrário que os problemas ambientais nos ofereceram nos últimos anos, a humanidade continua dirigindo o seu pensamento com base na lógica cartesiana pela qual somos separados do mundo. Entretanto, a verdade é que a destruição do ambiente leva consigo todo um acervo de conhecimentos, chamados pela literatura de “tradicionais”, os quais dependem, especialmente…

Ver o post original 857 mais palavras

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s