Uncategorized

Com ajuda do STF, Temer vai forçar Estados a cortes, privatizações e demissões (E segue o golpe)

Primeiro deles é o Rio de Janeiro, que ajusta últimos detalhes para acordo para sair da crise fiscal
Comentário do Blogueiro: O Lançamento da Carta Aberta a Sartori contra o fechamento das Fundações mostra o caminho que deve ser tomado por gaúchos e brasileiros de todos os Estados que não queiram ver entregue o que resta de patrimônio e serviços públicos. Unidade de todos que defendem a Democracia, o Estado de Direito, o desenvolvimento e a nação. Sim, pois que fazem é detonar com o que resta de nação do Brasil. No RS, assim como no RJ, o governo Estadual já dilapida o patrimônio Estadual, seguindo o Governo Federal, que vende tudo que é publico a preço de banana. Depois da passagem deste tsunami neo liberal por terras brasileiras, ao povo restará a barbárie e possivelmente até a escravidão disfarçada, já que o Governo pretende inclusive acabar com todos os direitos trabalhistas construídos por anos a fio. É hora de uma Frente Ampla nacionalista, contra os ataques do capital financeiro internacional, perpetrado pelos corruptos governos Federal e Estaduais que se recusam a fazer uma auditoria da Dívida Pública, que consome o dinheiro dos brasileiros, sobre a qual o governo paga mais de R$ 250 bilhões de Juros anuais aos banqueiros e multimilionários internacionais.
Jornal GGN – Após sancionar a renegociação, vetando a ajuda a estados em situação grave, um dos Estados de pior cenário financeiro tenta fechar um acordo de emergência, o Rio de Janeiro.
No final do último ano, o Congresso aprovou a renegociação das dívidas dos Estados, mas derrubou todas as contrapartidas que as federações em pior situação financeira precisariam “dar em troca”, como Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. Pela ideia do Planalto, esses estados teriam que aderir ao regime de recuperação fiscal, cortando boa parte dos seus gastos, suspendendo reajustes do funcionalismo, endurecendo ainda mais as regras previdenciárias estaduais e privatizando serviços.
A medida foi uma proposta do Ministério da Fazenda, de que as federações que seguissem essas regras alcançariam a renegociação das dívidas com a União. Mas no Congresso, o objetivo não teve exito. Os deputados aprovaram a renegociação, excluindo essas contrapartidas.
Voltando ao Planalto para a sanção, o acordo para as dívidas com os Estados não permitiu o Regime de Recuperação para aqueles que não oferecessem contrapartida. Na semana de Natal e ano novo, o Ministério da Fazenda afirmou que o governo estava vetando “integralmente o Capítulo II do projeto, que cria o chamado Regime de Recuperação Fiscal dos Estados e do Distrito Federal”, que é a condição imposta pelo governo.
Na prática, agora, os estados que precisarem da renegociação devem seguir as exigências da política econômica de Temer. Nesse contexto, Temer tenta uma saída jurídica para um acordo com o Rio de Janeiro.
Neste fim de semana, o presidente se reuniu com a ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF). Em seguida, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, conversou com o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão. O governo Temer negocia diretamente com o Estado para entregar as contrapartidar que o peemedebista quer e, em troca, receberá o socorro fiscal.
Entre as condições, estão a proibição de reajustes salariais dos servidores, a fixação de um teto das despesas, atrelado à inflação, e a privatização de empresas estatais do Rio de Janeiro, como a Cedae.
A expectativa é apresentar o projeto ainda nesta semana à ministra Cármen Lúcia, para passar pelo STF. Com êxito, outros estados como Minas Gerais e Rio Grande do Sul também precisarão recorrer à estratégia, sob as condições e pressões de Temer, para sair da crise fiscal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s