Petróleo/Petrobrás

Esta aí é o conteúdo nacional, indo buscar petróleo no campo de Lula

p66POR  no TIJOLAÇO

Partiu sábado de Angra do Reis, o navio-plataforma P-66 quase totalmente (casco, inclusive) construído no Brasil.

Vai tirar mais 150 mil barris de petróleo, todo dia, do Campo de Lula, na Bacia de Santos.

Tem 288 metros de comprimento e  54 metros de largura, um gigante que seria o primeiro de oito embarcações modulares (por isso chamadas de “replicantes”), montadas no Estaleiro Rio Grande (RS) e completadas, com estruturas de convés e sistemas de operação, em Angra dos Reis e no Espírito Santo.

Seria, porque não vai ser mais.

Serão apenas três, ela e as P-67 e P-68.

O resto foi cancelado.

O Estaleiro Rio Grande já mandou embora recentemente mais de 4 mil trabalhadores.

O Estaleiro Brasfels, em Angra, quase três mil.

Esta semana, Michel Temer bate o martelo para aniquilar a indústria naval brasileira, reduzindo drasticamente as exigências contratuais de conteúdo nacional nos equipamentos de extração de petróleo, como os navios-plataforma.

Olhe para este gigante e veja como só anões podem querer que o nosso país não os produza, sob o argumento de que demoram mais e ficam um pouco mais caros.

Claro, uma indústria que  foi aniquilada uma vez, começa com prazos maiores e custos mais altos e vai se adequando.

Mas gera emprego aqui, gera compras aqui, gera uma cadeia  de suprimentos aqui.

Este navio  é o conteúdo nacional, traduzido numa imagem que todo mundo entende.

Eles também, por isso querem destruir esta política.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s