Uncategorized

AS CIDADES MORTAS

Sustentabilidade e Democracia

IMG_1409 (2)Foto: antiga indústria de Pelotas/RS, abandonada com a desindustrialização

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais pela UFPel.

Cidades são ecossistemas. E como tal, são vivas, nascem, crescem e morrem. Algumas surgem do nada, como parte complementar de um projeto maior ou decorrência de assentamentos provisórios. Outras são planejadas. Algumas seguem vivas e dinâmicas e outras morrem em vida. As últimas que chamam mais atenção.

A grande diferença das cidades para a maioria dos demais ecossistemas e a sua capacidade de renascimento. Mesmo com a morte decretada, as cidades podem encontrar elementos capazes de refazê-las. Isto se deve ao fato destas também se constituierem em universos de organização social e, quando a própria sociedade encontra novos caminhos, estes fazem as cidades ressurgirem. Contemporaneamente existe um instrumento forte para este renascimento que é o ato de planejar. Cidades que pensam no seu futuro possuem maior viabilidade…

Ver o post original 267 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s