Fascismo

‘Fake News’ atribuída ao MBL termina na polícia do Paraná

Do Blog do Esmael

O deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB), líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná, foi vítima de ‘fake news’ (notícia falsa) cuja autoria é atribuída a militantes do Movimento Brasil Livre (MBL). A história terminou na polícia, como informou o próprio parlamentar em entrevista ao Blog do Esmael.

A ‘fake news’ teve início com a apreensão pela Polícia Civil e o Denarc (Divisão Estadual de Narcóticos) de um caminhão tanque transportando drogas. O veículo trazia uma plotagem falsa “A serviço da Romanelli”, empresa que pertence a familiares do deputado. A operação foi filmada pelos agentes policiais e o vídeo caiu na rede.

Entretanto, segundo a Polícia Civil do Paraná, é muito comum que traficantes de drogas e de armas utilizarem desse ardil para tentar enganar a fiscalização nas rodovias. Eles plotam os veículos com marcas de governos e empresas públicas com a intenção de furar o bloqueio.

Ao Blog do Esmael, o deputado Romanelli disse que uma força-tarefa tem fortes indícios de que as “fake news” tiveram início com militantes do MBL. O líder do governo pediu para que a Delegacia de Cibercrimes investigue a origem das notícias falsas para individualizar possíveis ações judiciais.

O Blog do Esmael se solidariza com o deputado Luiz Claudio Romanelli.

A suspeita do envolvimento do MBL com ‘fake news’ é um verdadeiro pleonasmo. No início deste ano, um grupo de estudo da USP apontou os dez principais sites responsáveis por espalhar notícias falsas no país. Todos eles são ligados ao movimento de extrema-direita. Dentre as ‘fake news’ alimentadas por eles estão: 1 – Terroristas do MST destroem torres de energia para prejudicar agricultores; 2 – Dilma mandou matar o cachorro labrador Nego; 3 – Família de estuprador receberá R$ 150 mil de indenização do Estado; etc.

Mas por que o deputado Luiz Claudio Romanelli, líder do governo Beto Richa (PSDB), seria alvo do MBL?

Há algumas pistas políticas. A primeira diz respeito ao posicionamento do parlamentar socialista contrário à aprovação do projeto “Escola Sem Partido”, manifestando-se na tribuna da Assembleia Legislativa do Paraná e neste site onde é colunista semanal. A segunda tem a ver com o vazamento de conversas dos líderes do MBL pela revista Piauí, no começo de outubro, quando eles sugeriram que Beto Richa é um dos “pilantras” no PSDB.

Ato contínuo, o MBL realizou um congresso em Curitiba no dia 16 de outubro (alguém ficou sabendo?). Por conta dos xingamentos contra Richa, o governo do Paraná torceu o nariz para o evento que ficou na semi-clandestinidade na capital cujo apelido dado é “Reaciolândia”. Se antes o tucano trabalhavam juntos, agora parece que romperam politicamente.

Eis um dos ‘fake news’ atribuído ao MBL, distribuído junto ao vídeo:

“Caminhão da empresa transportadora de combustível do Deputado Luiz Cláudio Romanelli, do PSB, Líder do Governo de Beto Richa (PSDB) foi flagrado cometendo crime. Levava combustível de aviação para o Paraguai, e na volta, trazia drogas e armas pesadas para os traficantes, para os terroristas do MST(Movimento dos Trabalhadores Sem Terra), Via Campesina e para as milícias dos sindicatos ligados à esquerda brasileira.”

Assista ao vídeo da operação policial:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s