corrupção/política

Seis governadores tucanos aparecem envolvidos nos cartéis da Camargo Corrêa

Aparecem enrolados nos depoimentos os nomes dos maiores caciques do partido: José Serra, Geraldo Alckmin e Alberto Goldman em São Paulo; Beto Richa, no Paraná; Aécio Neves em Minas Gerais e Tasso Jeraissati no Ceará

Por Julinho Bittencourt n Revista FORUM

Em acordo de leniência, a Camargo Corrêa confessou a prática de cartel em obras de metrô de sete estados e do Distrito Federal nos últimos vinte anos. Dos sete, quatro eram governados por tucanos. Entre 1998 e 2014 aparecem enrolados nos depoimentos os nomes dos maiores caciques do partido: José Serra, Geraldo Alckmin e Alberto Goldman em São Paulo; Beto Richa, no Paraná; Aécio Neves em Minas Gerais e Tasso Jeraissati no Ceará.

Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais.

A investigação já está em andamento no Cade, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica. Os investigados vão ter que apresentar defesa e podem ser chamados a prestar depoimento e entregar outras provas, como perícias e documentos.

A Camargo Corrêa contou no acordo que fez com o Cade que tentou manipular 21 licitações de obras públicas entre 1998 e 2014.

O documento do Cade não traz os nomes dos políticos, mas sim o ano em que as empresas montaram o cartel. Não é atribuição do conselho investigar agentes públicos. No entanto, pelas datas em que ocorreram, fica fácil a identificação de cada um deles. Mais fácil ainda é perceber que o caso não vai ficar apenas por conta do Cade.

O Painel, da Folha, informa nesta quarta-feira (20) que integrantes do PT não vão deixar barato e vão levar adiante o caso, revelado por acordos de leniência firmados com o Cade. A sigla já pediu audiência com o procurador-geral de Justiça de SP, Gianpaolo Smanio, chefe do MP e cobrará investigação sobre os tucanos. Em outra frente, deputados estaduais petistas vão pedir a abertura de uma CPI.

A despeito disso, a notícia caiu como uma bomba entre os tucanos. Atônitos, cogitam até na ressureição da candidatura de João Doria à presidência, para substituir Geraldo Alckmin, atingido em cheio nas denúncias.

Não é a primeira vez que o nome de Alckmin aparece às voltas com as obras do Metrô. Em outubro de 2016, o governador também foi citado na delação da Odebrecht, confirmando que ele é o “Santo” das planilhas da construtora.

Ao governador teriam sido pagos R$ 500 mil em duas parcelas, a pedido de um diretor de contrato da Odebrecht que era responsável pelas obras na Linha 4 do Metrô, de acordo com planilha obtida pela Polícia Federal na 35ª fase da Operação Lava Jato.

Como desdobramento desta delação, em novembro deste ano, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) recebeu um pedido da Procuradoria Geral da República para investigar o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). O caso corre em segredo de justiça.

Foto: Montagem de Bruno Santana sobre imagens de Fotos Públicas e Agência Brasil

Um pensamento sobre “Seis governadores tucanos aparecem envolvidos nos cartéis da Camargo Corrêa

  1. Brasil e seu povo acorda ate quando vamos ver cidadãos inescrupulosos fazendo o mal a milhões de brasileiros e a justiça (STF) inerte ate quando povo Brasileiro. Luiz Inácio Lula da Silva (Lula) tinha razão temos um (STF) acovardado ou não?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s