Uncategorized

Por que o “indulto” a Youssef não chocou ao Dallangol e a trupe da Lava Jato?

Do  Esmael Morais

O doleiro Aberto Youssef ganhou a liberdade no dia 17 de novembro do ano passado, depois de 2 anos e oito meses, apesar de condenado a 121 anos e 11 meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro.

Alberto Youssef foi preso na primeira fase da operação lava jato, no dia 17 de março de 2014. Em outubro daquele ano, o doleiro assinou acordo com o Ministério Público Federal (MPF).

O doleiro foi uma das “matérias primas” utilizada pela operação lava jato, haja vista ele ter sido um dos principais delatores a inspirar a força-tarefa de Curitiba.

Ao cumprir revisão do Supremo Tribunal Federal (STF), o juiz Sérgio Moro autorizou a antecipação da progressão de Youssef para o regime domiciliar.

O ex-deputado André Vargas (sem partido), preso há 2 anos e 7 meses, recebeu indulto de Natal por ter cumprido 1/5 da pena. Preso desde abril de 2015, ele foi condenado a 13 anos, 10 meses, 24 dias confirmados pelo TRF-4. Portanto, o ex-parlamentar cumpriu todas exigências para progressão de pena para o regime aberto.

Evidentemente, se Youssef cumpriu todos os requisitos legais para progredir do regime de reclusão (cadeia) para o fechado (domiciliar) não há que se discutir. Agora, é histérica essa discussão da mídia sobre o indulto de Natal que beneficiou cerca de 30 mil presos em todo o país. Trata-se de política criminal menos burra, pois o Brasil tem a terceira população carcerária do mundo com 726 mil apenados.

Embora esteja condenado a 121 anos de prisão, a liberdade de Youssef não chocou a mídia nem os membros da operação lava jato. Por quê? Talvez somente o advogado Rodrigo Tacla Duran consiga responder tal desproporcionalidade…

Então, não faz sentido o faniquito do procurador Deltan Dallagnol acerca do indulto de Natal. Ele quer aparecer e se comporta como candidato para as eleições de 2018. Anseia por vingança contra alguns, nunca justiça para todos.

O benefício da progressão atinge os agentes que cometeram crimes sem grave ameaça ou violência. Cumpridos os requisitos da lei, é direito fundamental do apenado.

2 pensamentos sobre “Por que o “indulto” a Youssef não chocou ao Dallangol e a trupe da Lava Jato?

  1. A mim este sergio moro e dalagnol e etc…..nunca me enganou , pois quando vi eles metido a pastores em uma religião seria como a Batista ja se podia analizar; que era no intuito de se passar por gente honesta , ledo engano a pessoas que se contento com noticias falsas da midia marrom como é globo band etc ; também toda hora saindo do pais como quem tem compromissos com os donos do mundo !!! Quem pesquiza sabe bem que quero dizer.Sempre achei que estariam trazendo o pior para o Brasil.Em fim é isto a verdade tarda mais não falha, pobre de nós brasileiros.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s