Uncategorized

Após 10 anos e 90 inquéritos, investigação contra o PSDB só empaca na Justiça

A grande corrupção dos governos do PSDB na Dersa (Empresa Estatal de Desenvolvimento Rodoviário), responsável por grandes obras viárias em São Paulo, está empacada e não avança há 10 anos. Desde 2009, o Ministério Público do Estado de São Pauloabriu 90 inquéritos para investigar contratos da Dersa.

Os que chegaram à Justiça se limitam a discutir pequenos valores de desapropriações. Contudo, depoimentos de delatores da Lava-Jato, especialmente ex-executivos da Odebrecht, mostraram haver na Dersa cenário que lembra o que ocorreu na Petrobras: interferência política, doleiros, operadores financeiros para lavar dinheiro e agentes públicos suspeitos de gerenciar cartéis de empreiteiras.”

Os investigadores suspeitam do desvio de R$ 15 bilhões de contratos firmados nos últimos dez anos. O valor é mais da metade dos investimentos coordenados pela empresa. A estatal paulista é ainda acusada de interferência política e desvios para campanhas tucanas.

“Estão sob suspeita os quatro maiores projetos da empresa, entre eles o do Rodoanel Mário Covas. Iniciado há 20 anos com orçamento de R$ 9,9 bilhões e previsão de ficar pronto oito anos depois, o Rodoanel ainda não foi concluído e já custou R$ 19,7 bilhões. A prisão dos dois últimos diretores de engenharia da empresa — Paulo Vieira de Souza e Laurence Casagrande Lourenço — chama a atenção para apuração de desvios que alcançam os governo do PSDB em São Paulo, sob as gestões de José Serra, Alberto Goldman e Geraldo Alckmin.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: