economia/trabalho

Estudo confirma que crise provocada pelo golpe de 2016 derrubou a pequena empresa

O pequeno empresário foi um dos grandes prejudicados pelo caos político e econômico instalado em 2015 com o golpe jurídico-parlamentar que derrubou a ex-presidente Dilma Rousseff.

O estudo chamado Anuário do Trabalho nos Pequenos Negócios, elaborado pelo Sebrae, a partir de informações do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Econômicos (Dieese) mostra que a crise gerada em 2015 e 2016, durante o processo do impeachment, provocou a quebra de um longo crescimento de 10 anos dos pequenos negócios.

O golpe teve o apoio da grande mídia e de setores do judiciário. No congresso, desde 2015, Eduardo Cunha (MDB) barrava projetos do governo e aprovava pautas bomba para a economia com apoio da imprensa. Apenas uma pequena parcela de grandes empresários se beneficiou do golpe.

O movimento golpista

Segundo Vinicius Lages, diretor administrativo financeiro e presidente em exercício do Sebrae.“A crise econômica que atingiu o país em 2015 e 2016 foi a responsável pela quebra na longa sequência de crescimento anual do número de pequenos negócios no Brasil. Desde 2006, essa elevação foi contínua, mantendo-se a taxa média de 2,4% ao ano, o que persistiu até 2015”, explica

Ele acrescenta que “somente em 2016, 102 mil estabelecimentos deixaram de existir, reduzindo-se a 6,8 milhões o número MPE, o que configura uma queda da ordem de 1,5% no número de empreendimentos. Ainda assim, a participação relativa dos pequenos negócios no total de estabelecimentos do país se manteve em 99%, ao longo desse período”. Veja o caso de Viracopos.

O documento revela, que no período de 2006-2016, a participação desse nicho de empresas no estoque de emprego no país cresceu de 53,5% para 54,5%. Em dez anos, houve um aumento de 1,1 milhão de pequenos negócios no Brasil, o que representa crescimento de 21,9% no número de empresas, responsáveis pela geração de mais cinco milhões de novos empregos. Em consequência, em 2016, chegou a 16,9 milhões o total de postos de trabalho nas empresas de pequeno porte.

O papel da mídia no golpe

O Anuário também mostra que o percentual de demissões nos pequenos negócios foi proporcionalmente menor do que nas médias e grandes empresas. Na crise econômica, enquanto as MPE perderam 300 mil trabalhadores, entre 2014 e 2015, e 600 mil, de 2015 para 2016, nas médias e grandes empresas essa perda foi bem maior: de 1,1 milhão e de 900 mil, respectivamente. (Carta Campinas com informações de divulgação)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: