ELEIÇÕES 2018

Criticar o acordo PT-PSB é uma forma de desconhecer a política

Marília Arraes

Sabemos todos, não se fazem omeletes sem quebrar os ovos. E na intrincada frigideira que é o Brasil, a clara nem sempre permanece ao redor da gema.

O acordo firmado entre o PT e o PSB em que este último mantêm-se “neutro” no que se refere à disputa presidencial, obedece uma lógica de cunho pragmático em que os interesses dos dois partidos são atendidos na esfera nacional a partir das mais legítimas especificidades federativas.

Antes de mais nada, uma obviedade.

Como trata-se de um “acordo”, erra feio quem enxerga nessa movimentação uma imposição de um partido, seja ele qual for, em relação ao outro.

Como em todo acordo, existem ganhos e perdas para ambos. É a vida como ela é.

Dito isto, é preciso entender a perda da candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco como um sacrifício duro, sim, mas em prol de algo maior.

Além do que, ninguém pode esquecer que da mesma forma que o PT corta na carne, assim também o faz o PSB. Tão traumático para Arraes em Pernambuco está sendo para Lacerda em Minas Gerais.

Sacrifícios compartilhados, resta-nos socializarmos os ganhos. E aqui entra o cerne da questão.

Chega a ser amador imaginar que tudo foi feito na intenção maior de isolar Ciro Gomes e os seus 4% de intenção de votos. Como se ele próprio, aliás, já não fosse o seu maior fator de isolamento.

A hipótese de neutralidade do PSB já era aventada há muito tempo. E justamente em função das particularidades do partido nos estados.

A ala do PSB que defendia o apoio do partido a Ciro se enfraquecia à medida que ele concomitantemente não avançava nas pesquisas e era sistematicamente preterido pelos demais partidos.

No caminho inverso, a ala que defendia o apoio do PSB ao Partido dos Trabalhadores crescia. Sobretudo quando o PSB da Paraíba declarou abertamente o apoio ao PT.

Trocando em miúdos, como não existia absolutamente nenhuma promessa firmada e declarada do PSB ao PDT, alguém pode pensar, com justa causa, que Ciro e seu partido ainda saíram no lucro. Para eles, que viram o “Centrão” os deixar a ver navios e fechar com Geraldo Alckmin, antes a neutralidade do PSB do que a coligação com o PT.

Superada essa celeuma, o fato é que o Partido dos Trabalhadores ganha, e muito, nos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Simplesmente o segundo e terceiro maiores colégios eleitorais do país, respectivamente.

Fernando Pimentel, que está em segundo lugar na corrida estadual mineira, ganha um reforço importante para sua candidatura. Márcia Tiburi, que estreia no Rio, incorpora alguma massa política. Nos dois casos, a reboque, a candidatura do PT à presidência da república ganha ainda mais musculatura.

Resultados garantidos? Claro que não. São as apostas do jogo político.

Garantia mesmo em toda essa história é a de que uma vez Marília Arraes concorde disputar uma vaga para deputada federal (em desfavor de sua inquestionavelmente promissora, mas não garantida eleição ao governo do estado) a sua esmagadora votação não só a elegerá como trará consigo outros candidatos do partido.

Fato de extrema importância para a urgente e necessária renovação do Congresso Nacional e para a governabilidade do país. Recebido os limões, faça-se a limonada.

No mais, definida essas posições, está dada a grande oportunidade para o PCdoB engrossar as fileiras da candidatura à frente de todas as pesquisas eleitorais.

Como Ciro Gomes não correspondeu aos piscares de olhos do PT, infinitamente maior e mais legítima seria uma chapa com Manuela D’Ávila, essa sim uma puro sangue de esquerda.

Como se vê, existem muito mais coisas entre o céu e a terra do que a nossa vã filosofia pode imaginar. Criticar o acordo firmado entre o PT e o PSB é uma forma, ainda que legítima, inocente de desconhecer a política.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s