Uncategorized

Salgueiro: 8 mortos, 35 balas de fuzil e o Exército conclui que ninguém atirou

Além de deixar a família dos 8 mortos de Salgueiro sem respostas, o arquivamento do inquérito pelo Exército, com a desculpa de que “ninguém puxou o gatilho”, põe em xeque a capacidade da instituição de entregar resultados na investigação sobre o assassinato do músico Evaldo Pereira, em Guadalupe

No Jornal GGN

Foto: EFE

Jornal GGN – Em novembro de 2017, 8 pessoas foram assassinadas com 35 tiros de fuzil no Complexo do Salgueiro, Rio de Janeiro, em mais uma operação do Exército que envolveu a Polícia Civil. Duas investigações já terminaram e, em ambos os casos, o assunto foi arquivado. As autoridades simplesmente concluíram que ninguém atirou.

O caso lembra o episódio ocorrido neste mês de abril em Guadalupe, uma operação do Exército que levou ao assassinato, pelas mãos do Estado, de um pai de família. O músico Evaldo Pereira levava esposa, sogro e duas crianças para um chá de bebê quando seu carro branco foi fuzilado com 80 tiros porque os militares o confundiram com um assaltante.

Uma perícia inicial da Polícia Civil concluiu que os militares erraram. Nove de 12 que participaram do fuzilamento estão presos. E a investigação está a cargo do próprio Exército, exatamente como ocorreu com o caso Salgueiro, que teve também um segundo inquérito tramitado no Ministério Público estadual.

No ano passado, o MP estadual concluiu que a Polícia Civil e os traficantes não atiraram contra os oito mortos. Em março passado foi a vez do Ministério Público Militar arquivar o inquérito alegando igualmente que nenhum militar puxou o gatilho.

Há, contudo, uma testemunha ouvida pelo MP estadual que apontou para os militares como responsáveis pelos disparos. Um padeiro de 19 anos, que também foi ferido, indicou a localização de onde saíram os tiros e reconheceu o uniforme dos membros do Exército junto à Defensoria. O depoimento dele foi confirmado pelo de outra vítima, Luiz Octávio Rosa, de 27 anos, que acabou morrendo um mês após a operação. Apesar dessas duas testemunhas, os dois inquéritos foram arquivados mesmo assim.

“A menos que surjam novas provas, que possam gerar a reabertura dos inquéritos, os autores dos disparos seguirão impunes”, anotou O Globo.

A operação foi denunciada pelos defensores públicos Rodrigo Pacheco e Daniel Lozoya à Comissão Interamericana de Direitos Humanos.

Leia mais.

2 pensamentos sobre “Salgueiro: 8 mortos, 35 balas de fuzil e o Exército conclui que ninguém atirou

  1. NÓS os mortais não sabemos para que lado correr!!! O ex-BRASIL acabou de vez como Nação! NÓS, o POVÃO somos tratados / considerados / enxovalhados como massa de manobra dos ANGLO_SIONISTAS, pois resta saber qual vai o nome-naturalidade que os MEGANHAS / $$$TF / MILICIANOS irão nos nomearmos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s