Meio Ambiente

Efeito Bolsonaro: Europa deixará de passar R$ 3 bilhões por ano Para o Fundo Amazônia do Brasil

Loucura, subserviência e vergonha. Não da pra dizer outra coisa da relação do Governo Bolsonaro com a Europa. Assinou um acordo com a UE que liquida com a Industria do Leite, do Vinho e de Automóveis no Brasil. Não bastasse isto, o fim da fiscalização Ambiental fez aumentar de forma vergonhosa o desmatamento na região amazônica. Em um Mês foram abatidas mais árvores na Amazônia que 12 anos dos Governos Lula e Dilma. O Desastre ambiental que trágico para a região, será mais trágico ainda na formação de chuvas ou falta delas em outros lugares do Brasil e do Mundo. Em consequência, Noruega e Alemanha deixarão de passar R$ 3 bilhões de Reais por Ano para o Fundo responsável justamente pela preservação da Amazônia. E se não bastasse a vergonha do desmatamento histórico, Bolsonaro e seu Ministro do Meio Ambiente queriam colocar a mão na grana para “indenizar terras a grileiros, sim, a ladrões de terra na região amazônica. Lê a seguir a matéria da Revista Veja:

Alemanha e Noruega admitem fim de fundo bilionário na Amazônia

Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, se encontrou nesta quarta com embaixadores dos dois países europeus

Da Revista Veja

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, negocia com os doadores europeus do Fundo da Amazônia (Ueslei Marcelino/Reuters)

Fundo da Amazônia, criado em 2008 e administrado atualmente pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), pode ser extinto. Só o governo da Noruega repassou mais de 3 bilhões de reais. A Alemanha, cujo envio é mais modesto, de cerca de 190 milhões de reais, anunciou nesta quarta-feira, 3, que suspendeu novo repasse previsto de 150 milhões de reais.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e embaixadores de Noruega e Alemanha no Brasil já admitem a possibilidade de o fundo ser extinto.  

Dados do Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais (Inpe) divulgados nesta quarta indicaram que o desmatamento na região foi 88% maior que no mesmo período de 2018.

O governo de Jair Bolsonaro já havia sugerido em maio a intenção de alterar o funcionamento do fundo. Quer, por exemplo, passar a usar o dinheiro para indenizar proprietários rurais em unidades de conservação, o que é rechaçado por Noruega e Alemanha.

Além disso, Salles espera modificar a representação no conselho que definia a aplicação das verbas. Na última sexta-feira, 28, o governo brasileiro extinguiu o colegiado que coordenava a distribuição sem avisar os parceiros da Europa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s