mídia/Rio Grande do Sul

Comentários sobre assalto a banco em Criciúma faz Programa Time Line da RBS perder patrocínios

“Melhor bandido roubar de banqueiros ricos do que de gente pobre”. “Dinheiro de banco não tem dono” . Com estas e outras frases, o casal escalado para passar o tempo batendo no PT e nos petistas, acabou dando margem a empresas que além de patrocinarem a RBS, também são chegadas a uma ideologia neofascista e a uma censura “condizente” com a mesma, bateram duro e retiraram o apoio comercial ao programa.

Pois é: Kelly Matos e David Coimbra sofrem agora as consequências do que eles mesmos defendem.

O guardião das barrancas do Dilúvio tomou uma bordoada das empresas que os pagam. Os anti petistas Kelly Matos e David Coimbra resolveram falar o que o povo fala. Patrocinadores enlouqueceram e tiraram os patrocínios. (Até aqui o comentário do Blogueiro)

Segue artigo na íntegra do Coletiva.Net sobre o tema

Cancelamento de contratos aconteceu após conversa dos apresentadores Kelly Matos e David Coimbra sobre o estilo de abordagem dos assaltantes 

Kelly Matos e David Coimbra, apresentadores do Timeline – Reprodução

Logo após dar início ao programa da rádio Gaúcha ‘Timeline’ e apresentar os patrocinadores, na manhã da última quinta-feira, 4, David Coimbra e Kelly Matos começaram a conversar sobre o estilo de abordagem da quadrilha que assaltou uma agência do Banco do Brasil, em Criciúma, no início da semana. Contudo, o comentário dos jornalistas, que compararam a abordagem dos criminosos à instituição financeira aos demais roubos às pessoas na rua, por exemplo, não causou boa impressão nos patrocinadores. 

Após a repercussão negativa da conversa entre os apresentadores, Unicred, Biscoitos Zezé, Santa Clara, Salton, Sebrae-RS e Shopping Total emitiram nota de repúdio sobre os comentários dos jornalistas e cancelaram o contrato de patrocínio do programa. Conforme comunicado da Unicred, a empresa “respeita a liberdade de imprensa e o trabalho realizado pelos jornalistas e pela RBS, no entanto, não compactua com os comentários realizados a respeito dos bancos e assaltantes”.

Enquanto isso, a companhia Biscoitos Zezé escreveu, em nota, que também repudia veemente a manifestação dos profissionais. “Não há contexto possível para tais comentários no mínimo desrespeitosos e debochados, tendo em vista que bandidos sitiaram uma cidade, provocaram pânico na população, e que dessa ação resultou em um policial gravemente ferido no exercício de sua tão valorosa atividade”, alegaram.

A Cooperativa Santa Clara, por sua vez, informou que, em toda a sua história, enalteceu e apoiou as entidades e ações em prol da segurança pública. “Seguindo estes valores, não compactuamos com os comentários no programa Timeline, referente ao assalto ao Banco do Brasil em Criciúma”, comunicou a marca, que também retirou o patrocínio.

Quem ainda se manifestou a respeito do assunto foi o Shopping Total. Segundo o informe, a empresa não chancela o posicionamento dos comunicadores, fora do contexto, da realidade e da legalidade da pauta. “Não somos patrocinadores do programa ‘Timeline’, os anúncios são avulsos da Campanha de Natal 2020. Já solicitamos a exclusão da veiculação destes anúncios na grade do programa”, esclareceram.

A mesma atitude tiveram Salton e Sebrae-RS. A vinícola registrou em seu comunicado que “se solidariza com todas as pessoas que foram atingidas pela ação criminosa, incluindo ainda as instituições financeiras. O Sebrae, por sua vez, afirmou que as opiniões como foram externadas “demonstram uma instabilidade que beira a irracionalidade, consideradas as consequências do ocorrido com a população daquela cidade”.

Procurados por Coletiva.net, o Grupo RBS informou que não se manifestará além do comunicado emitido. Na nota, abordaram que não houve a intenção de minimizar a gravidade da ação criminosa e de ofender as empresas, os cidadãos e os policiais que foram feridos. Ainda foi informado que o comunicador se retratou no ar nesta ainda na quinta-feira, 3. “A RBS pede desculpas pelo ocorrido e afirma seu respeito às instituições financeiras e às forças policiais, assim como a todas as pessoas atingidas pelo lamentável episódio. A linha editorial da RBS nos assuntos de segurança busca auxiliar cidadãos e empresas a se protegerem e valoriza as forças policiais na defesa da lei e da sociedade”, declararam.

O conglomerado midiático acrescentou há pouco, nesta mesma nota, que tem como princípio estar aberto às críticas e aos questionamentos de todos, para ouvir suas percepções sobre todo e qualquer tema e estabelecer uma relação constante de diálogo e respeito. “Essa atitude será reforçada nos próximos dias com diversos setores da sociedade com o propósito de aperfeiçoar o seu jornalismo responsável e independente.”

Confira aqui o áudio completo do programa:

2 pensamentos sobre “Comentários sobre assalto a banco em Criciúma faz Programa Time Line da RBS perder patrocínios

  1. Desde quando a dupla David Coimbra e Kelly Mattos, passam o tempo batendo o PT, bando de hipócritas, oou vcs nnca ouviram o programa da RBS, a dupla da RBS assim como vc são capachos do PT, adoradores do presidiário, vc deveria dizer que apoia a dupla e não ao contrário pois lutam pelamesma causa, derrubar o Bolsonaro, tão deixando os coleguinhas na mão, é bem típico de petista lembram do LUlla no Mensalão, deixou a turma dele apanhar sozinho, e ainda chamou os caras de aloprados. Lulla vai voltar em breve a seu lugar reservado, agora na Papuda em brasilia..

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s