comunicação/Luta de classes/Redes Sociais

De 2005 a 2020,O PT e a Guerra Híbrida no Brasil: as muitas batalhas perdidas e poucas ganhas na comunicação

O texto a seguir a princípio era pra responder a mais uma das muitas postagens de militantes, e até dirigentes do PT numa Rede Social, responsabilizando de alguma forma o povo “desinformado” e “mal agradecido” pelas derrotas e pelo Golpe que sofremos. me dei conta de que poderia me estender um pouco mais e descrever o que este humilde blogueiro percebeu e percebe do que é a tal Guerra Híbrida na prática, pelo menos no campo da Comunicação, já que a Guerra Hibrida usa vários instrumentos, dos quais a Comunicação, é provável, é a mais forte. Seria inútil o Law fare judicial contra Lula por exemplo, se a Comunicação não levasse aos quatro cantos a mensagem de que ele estaria vinculado a “corrupção” . Por favor, leiam e comentem:

A campanha contra o PT teve a primeira intentona vitoriosa em 2005 com a invenção do “mensalão”. Como todos sabem, Zé Dirceu, Genuíno e Gushiken foram inocentados, mas só depois de o Moro ter arrumado condenação pro Zé pela Lava Jato. Ali semearam a desconfiança dentro das trincheiras da esquerda, inclusive do PT e começaram a colar o selo da corrupção no PT. Era o começo da Guerra Hibida pra nós brasileiros. Como Zé se ofereceu em sacrifício pela causa, Lula pode dar a volta por cima, sempre muito calçado na grande capacidade de comunicação dele com o povo, antes da popularização das redes sociais. Era Lula contra a Globo. E Lula ganhou naquela época ganhava todas deles. Em 2010 pela primeira vez, ainda de forma tímida, mas muito profissionalizada, a burguesia passa a organizar seus exércitos para as grandes batalhas nas redes. E Serra passa a contar com dezenas de grupos operando nas redes, mas para eles ainda de forma experimental. A primeira tentativa de produzir uma grande fake News foi o episódio da “Bolinha de Papel”. Mas ali, por ainda não ter a experiência necessária, o exército de Serra foi prontamente derrotado pela voluntarista militância do PT e da esquerda. Me lembro bem, que um professor desmontou a farsa e antes mesmo que Serra saísse da sala da tomografia que foi fazer, as redes já tinham desconstituído a farsa, O objeto jogado não tinha sido um tijolo e sim uma bolinha de papel e quem tinha arremessado não era nem um militante adversário e sim um assessor de Serra. Eles perderam outra eleição e Dilma virou Presidenta a 1ª vez. Mais uma vitória do Lula, secundado pela briosa e voluntarista militância do PT, inclusive já nas redes. Mas a esquerda nada fez com esta experiência na área da comunicação em tempos de revolução tecnológica. Ficou na mesma. No entanto os grupos criados para fazer a campanha de Serra nas redes, e na época ainda existia o tal orkut e o facebook ainda era incipiente no Brasil. A outra rede muito usada por eles a época era o twitter, que como sabemos pela campanha do bolsonarismo, segue sendo o emissor inicial do que depois se amplifica através das muitas redes hoje existentes, e no caso deles, do Whatsapp. Os grupos originais são os mesmos mas agora eles já estão amplamente profissionalizados para a Guerra de Comunicação, iludindo até mesmo setores importantes da própria esquerda, como aconteceu em Junho de 2013. Pautados pelo já introjetado discurso da “corrupção” na esquerda, eles conseguem atrair para as ruas milhões de jovens mobilizados pelo facebook para lutarem contra o aumento do preço de passagens. Gurizada de Classe Média, Estudantes, a maioria com Passe Estudantil, com pai empregados e bem assalariados foram as ruas em algumas capitais do Brasil, entre elas Porto Alegre, sob os aplausos complacentes e até apoio de governos petistas. O movimento passou a ser diário e cada vez maior. Aí, como começaram a aparecer muitas bandeiras do PT, a “direção” do movimento resolveu que não poderiam mais haver bandeiras partidárias no movimento. Aí veio o questionamento. Opa, mas a turma do PT também quer protestar por um transporte melhor e outros que tais. Aí a resposta foi: “Não é só por 20 centavos”. E aí o climax do movimento foi tacar fogo no Itamarati e aprovar a PEC 37, que transformou o Ministério Público num Poder Paralelo, que com a Lava Jato, que veio logo depois, a gente sabe por que aquela turba toda serviu de bucha de canhão. Mas tem gente que até agora acha que não. E o PT e a esquerda seguem desdenhando a Comunicação como Arma de Guerra. Pro PT ela continua sendo só Publicidade, Propaganda e Marketing. E veio 2014, e ganhamos “com as calças na mão”. Mas Dilma assumiu e o PT simplesmente desmontou única experiência mais ampla e positiva de intervenção petista nas redes chamado Muda Mais. Do lado de lá, os grupos iniciados em 2010, reforçados por forte financiamento de organizações internacionais e milionários nacionais seguiram atuando e se fortalecendo. Assim penduraram a pecha de “corrupção” colocada no pescoço do PT e aceita por este ainda em 2005, passa a ser a única toada destes grupos na preparação do Golpe que viria definitivo em 2016. Apesar dos muitos alertas de gentes nossas que atuam nas redes, ouvidos moucos continuaram não escutando e a toada seguiu. Embora numericamente a derrota de Haddad não tenha sido tão grande assim, a derrota ideológica foi de 7 x 1, tanto que os resultados eleitorais de 2020 praticamente repetiram os resultados de 2018 a esquerda e a direita. No segundo turno as Redes Bolsonaristas atuaram em uníssono e elegeram quem concorria contra o PT. E o PT foi derrotado em 11 das 15 cidades que concorria no 2º turno com o mesmo conteúdo de discurso ideológico contra o PT, que na verdade é o discurso de ódio de classe. “Ah, mas Bolsonaro foi derrotado” dirão. Mas será mesmo que Bolsonaro é o protagonista ou só mais um soldado da Guerra? O Bolsonarismo segue firme com Guedes, Sales e a Camarilha militar desconstruindo as frágeis bases estruturais da nação e entregando a pátria ao capital financeiro.

E encerrando este breve comentário, eis que vejo mais um artigo dobre Felipe Neto, que supostamente teria batido a audiência da Globo com uma das lives dele, O artigo pra variar, sendo compartilhado por milhares de militantes petistas e claro, dirigentes e figuras públicas do partido. Do mesmo jeito que muito compartilharam os chamados a rua em 2013: “Sai do Facebook e vem pra rua”.

Se alguém quiser ir um pouco adiante, clica nos links a seguir:

Felipe Neto e a ingenuidade da esquerda e do PT sobre a guerra hibrida (2)

Eleições 2020/22: na guerra híbrida, esquerda precisa fazer comunicação anticíclica

Agentes externos provocaram uma “guerra híbrida” no Brasil, diz escritor

Na semana em que muitos defenderam Felipe Neto, Fernando Morais comunica o fechamento do Blog Nocaute. Sintomático?

O Brasil no epicentro da Guerra Híbrida — Gustavo Horta

Tamires, a combativa guerreira que enfrentou e desmascarou o Cavalo de Tróia do Felipe Neto

‘Tenho sangue nas mãos’: diz ex-funcionária do Facebook que denuncia responsabilidade da rede em campanhas de manipulação

Eita, um dia a turma acorda! Tomara que seja antes da nação estar totalmente desmantelada, por que em muitos países as “revoluções coloridas” não deixaram de pé nenhuma estrutura nacional.

Buenas. Comentem:

Um pensamento sobre “De 2005 a 2020,O PT e a Guerra Híbrida no Brasil: as muitas batalhas perdidas e poucas ganhas na comunicação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s