economia/Porto Alegre/SAÚDE

COVID-19: Prefeitos da Região Metropolitana divergem de Melo e cobram Bandeira Preta ou até lockdown em toda Região

Em reunião sem consenso na Granpal (Associação dos Municípios da Grande Porto Alegre, duas vozes se apresentam dissonantes 

Numa região como a Grande Porto Alegre, onde uma cidade esta colada na outra, decisões como esta não podem ser isoladas em uma ou outra cidade, por que muitos moram em uma cidade e tem que ir trabalhar em outra e vice versa. Por isto foi criada a GRANPAL. E diante da gravidade da situação, com pessoas morrendo por que já não há mais leitos nos hospitais, não dá pra ficar falando só em “abrir a economia”. Estão de parabéns os Prefeitos que pensaram mais na vida do povo do que o Prefeito de Porto Alegre, que prefere seguir as orientações de Bolsonaro, distribuindo “Kits Cloroquina”.

A reunião de prefeitos da Granpal hoje pela manhã,  que contou com a participação também dos prefeitos de São Leopoldo, Ary Vanazzi e de Novo Hamburgo, Fátima Daudt, dois municípios da região 7 de distanciamento controlado do Estado, terminou sem consenso quanto à adoção de lockdown e suspensão da cogestão.

Basicamente, houve duas vozes dissonantes e completamente opostas: o prefeito Vanazzi defendendo lockdown por 7 dias e que o governador Eduardo Leite assuma o protagonismo do combate à crise sem precedentes vivida neste momento e o prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, que continua na tecla de que tudo deve ficar aberto e que aumento de leitos resolveria a situação.

Vanazzi sustenta que um lockdown de sete dias aliviaria a situação calamitosa dos hospitais e não “quebraria a economia”, defendendo a vida em primeiro lugar. Melo chegou a anunciar que o Grupo Hospitalar Conceição, instituição federal de saúde,  poderia ser utilizado apenas para atendimento de covid. Não explicou,  no entanto, o que aconteceria com pacientes de outras comorbidades, graves inclusive, como infarto, AVC, câncer, doenças renais, entre outras, que são atendidas no GHC como referência para todo o Estado.  

Os relatos de todos os prefeitos presentes foram bastante assustadores. Quase a totalidade dos Municípios alegou estar em colapso ou à beira dele. Sapucaia e Esteio, cujos prefeitos defenderam continuar na cogestao e não adotar a bandeira preta, foram na contramão nas primeiras falas. Os demais, concordam com adoção  de medidas bem mais restritivas, embora ainda defendam a  cogestão. Nova Santa Rita, Eldorado e Gravataí apoiaram o lockdown.

Resultado a ser levado ao governador:  sem consenso, sem proposta unificada e no máximo, como uma posição conjunta,  um fechamento total das 18h às 6h e cada um dos Municípios se organizarem como quiserem para enfrentar a pandemia neste quadro caótico.

“Eu discordo totalmente da posição do Sebastião Melo, acredito que a decisão dele vai colocar toda a região em situação mais dramática e sigo defendendo  o lockdown e o fim da cogestão. É o governo do Estado que precisa agir, determinar, fiscalizar e ainda buscar, com urgência, as vacinas, única luz que poderíamos vislumbrar neste momento”, diz Vanazzi.

Com informações da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de São Leopoldo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s