privatização/Rio Grande do Sul

Por que e como 300 heroicos Prefeitos resistem a sanha privateira de Eduardo Leite contra a CORSAN e as Estatais gaúchas

A Resistência contra a Privatização da CORSAN vem dos Prefeitos do Rio Grande e Deputados privateiros já podem ir colocando as barbas de molho. Vão ter troco nas eleições por que se venderam pro @EduardoLeite_

Podem não ser exatamente 300. Mas pensei aqui na história e filme “os 300 de Esparta”. Por que tem que ter esta disposição heróica pra lutar até contra os interesses do Grande Capital pra defender seu povo. Muitos não resistem a força do dinheiro. Quase 40 deputados eleitos pelos mesmos que elegeram estes Prefeitos, se dobraram “facinho” na Assembleia Legislativa. Que tipo de “argumento os teria dobrado”?

Eduardo Leite tenta acelerar a todo custo a entrega das Estatais gaúchas. Já entregou a CEEE por uma ninharia e agora queria entregar a CORSAN de mão beijada. Mas entregar a CORSAN para a iniciativa privada, significa deixar centenas de municípios pequenos e médios a mercê dos gananciosos investidores capitalistas que não estão nem aí pra água e pra saúde do povo. Querem e saber de lucrar o máximo possível no menor tempo possível e depois passar o bagaço do que sobrar adiante, ou em muitos casos, devolver para o próprio Estado em troca de uma “indenização”.

O fato de terem aparecido só 11 dos 317 Prefeitos “convocados” por Eduardo Leite para assinarem um aditivo contratual que submete os Municípios e milhões de gaúchos a regras que ainda não existem e que só serão ditadas pela empresa que for “comprar” a CORSAN, é demonstração de Resistência.

Como Estatal, a CORSAN tem lucro de mais de R$ 3 bi ao ano. Mas fatura muito mais. E muito do que fatura nas grandes e médias cidades que atende, onde seus serviços se sustentam, serve para aplicar em muitos pequenos municípios em que o pagamento dos serviços não sustentaria os investimentos. Por isto a CORSAN é o que é; Uma das maiores empresas de água e esgoto do Brasil. Qual seria a empresa privada, avida por lucro, que prestaria serviço em mais de 200 municípios onde a relação arrecadação/investimento é deficitária?

Se esta privatização da CORSAN, vergonhosamente aprovada pelos Deputados, for efetivada, em muitos municípios e e localidades menores e/ou mais pobres, vamos voltar ao tempo das cisternas, da bicas e de todos os problemas de saúde que isto para a população.

E quando isto acontecer, a cobrança vai ser em cima do Prefeito destas cidades.

Por isto felizmente, parece que os Prefeitos dos mais variados partidos acordaram para o que significa a Privatização de Empresas Públicas como a CORSAN, O BANRISUL, A CEEE, A PROCERGS e outras: Lucro pra banqueiros e investidores e prejuízo para a População.

O fato de terem aparecido só 11 dos 307 Prefeitos “convocados” por Eduardo Leite para assinarem um aditivo contratual que submete os Municípios e milhões de gaúchos a regras que ainda não existem e que só serão ditadas pela empresa que for “comprar” a CORSAN, é demonstração de Resistência.

Mostra que o gesto do Prefeito de São Sepé, João Luiz Vargas, rasgando o tal aditivo, é simbólico do que pensam nossos Prefeitos. Pena que a maioria dos Deputados eleitos na onda bolsonarista que varreu o Rio Grande nas ultimas eleições, só pensem neles mesmos e se venderam ao privateiro pelotense, que também só pensa nele e almeja ser até candidato a Presidente.

Se os Prefeitos seguirem nesta toada e o povo seguir defendendo as Empresas Públicas como aconteceu no Plebiscito Popular Sobre as Privatizações e nas pesquisas que tem apontado que mais de 70% dos gaúchos são contra a privataria, os gaúchos podem ficar esperançosos deque dias melhores hão de vir depois da tragédia bolsonarista e privateira que se abateu sobre nós.

Pra ler este artigo na íntegra, basta clicar no print

Um pensamento sobre “Por que e como 300 heroicos Prefeitos resistem a sanha privateira de Eduardo Leite contra a CORSAN e as Estatais gaúchas

  1. Quem lembra da figura do aguateiro? Um homem sentado numa pipa puxada por um burrinho para vender água de casa em casa. Naquela época não havia um sistema de abastecimento com rede de água tratada.
    As pequenas comunidades poderão voltar ao passado se esse governo entregar a CORSAN para a especulação do capital privado.
    DIGA NÃO A PRIVATIZAÇÃO

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s