Uncategorized

Temer neoliberal incomoda os militares

 A austeridade fiscal que destrói políticas sociais representa aumento da insegurança social e política nacional

comandantes-das-forças-armadasQUARTEIS EM POLVOROSA COM O GOVERNO TEMER REPUDIADO NAS RUAS COMO GOLPISTA
Aumentam extraordinariamente as preocupações dos comandantes militares brasileiros, do Exército(general Eduardo Villas Boas), da Marinha(Eduardo Leal Ferreira) e Aeronáutica(Nivaldo Rossalto) com a estratégia econômica neoliberal comandada pelos banqueiros, na Fazenda(Meirelles) e no Banco Central(homem do Itaú), que aumenta a instabilidade política e social, indo na linha oposta que o projeto militar desenvolve como defesa nacional, compreendendo fortalecimento da educação, da saúde, do meio ambiente, do emprego, como reais fatores capazes de produzir a segurança nacional e a consciência cívico militar em favor de desenvolvimento nacionalista. O projeto neoliberal de Temer, apoiado por forças antinacionais golpistas, é o oposto de tudo isso e coloca a segurança nacional em risco.

Por Cesar Fonseca Ubiramar Lopes no Independência Sul Americana

 O grande gargalo do governo Temer, se ele continuar, o que é uma incógnita, é sua relação com as forças armadas.

O motivo é simples.

A taxa de insegurança social aumenta com o neoliberalismo econômico temerista e lança dúvidas sobre a estabilidade política.

Os militares desenvolveram, ao longo dos últimos treze anos de Era Petista, nacionalista, outro conceito de segurança social, que não se compatibiliza com a política neoliberal.

Trata-se de perceber a segurança como produto do desenvolvimento econômico equilibrado, em que sejam constantes e seguros investimentos em educação, saúde, meio ambiente, emprego, fortalecimento do mercado interno, como produto de opção desenvolvimentista, nacionalista.

Isto está claro no Programa Nacional de Defesa(2005), na Estratégia de Defesa Nacional(2007) e na Doutrina Militar de Defesa Nacional(2008), aprovados no Congresso Nacional e constantes, desde então, no ordenamento jurídico brasileiro.

Essa nova concepção de segurança se baseia nos estudos desenvolvidos pela Escola de Copenhague, por meio da qual novos conceitos de desenvolvimento foram formulados pelos europeus, no pós guerra fria.

Por meio dela, combina-se segurança nacional com desenvolvimento econômico em que a sociedade tenha diante de si ofertadas educação, saúde, emprego, renda, consumo adequados às suas exigências de dignidade humana e social.

Ou seja, os militares, com seus três projetos, aprovados nos governos Lula e Dilma, não entendem mais a segurança pública e nacional como produto de prioridade conferida à força policial.

Muito pelo contrário.

A força policial, em si, é vista como produto da insegurança social, da insuficiência dos fatores econômicos e políticos capazes de atender demandas comunitárias.

A segurança social, nesse sentido, representaria integração cívico-militar em favor de projeto nacional desenvolvimentista, a partir da industrialização focada na indústria de defesa, visando, sobretudo, o território nacional, em especial, a Amazônia, fonte de cobiça internacional.

No desenvolvimento desta, desenrola-se processo tecnológico e científico apoiado na cibernética, na produção nuclear e atômica, especialmente, nos submarinos de defesa.

O foco na indústria de defesa nacional – e continental, sul-americana, dado que, para os militares, a América do Sul é extensão do território nacional a ser preservado pela integração econômica do continente –  é a prioridade, entendida ela como alavanca do desenvolvimento científico e tecnológico a espraiar-se pelo restante das atividades produtivas.

Assim, haveria expansão da indústria nacional de patentes,  desenvolvimento da inteligência, que requer, por sua vez, prioridade à educação e à saúde, a reclamarem grandes investimentos, isto é, algo que se interage para formação de consciência cívico-militar, como destacou o comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, no Dia do Exército, 19 de maio, em palestra aos estudantes do CEUB.

Os projetos de segurança nacional são, ao mesmo tempo, âncoras do desenvolvimento com viés, amplamente, nacionalista, visto que sua prioridade é o fortalecimento de uma geopolítica brasileira que confere ao Brasil posição independente no mundo globalizado.

Certamente, os Estados Unidos são os principais adversários dessa geopolítica nacionalista que o Congresso aprovou, razão pela qual os militares são profundamente gratos aos governos petistas e, inversamente, encontram-se profundamente desconfiados do governo interino Temer, cuja prioridade é alinhar-se à geopolítica norte-americana.

GOVERNO GOLPISTA: PERIGO CONTRA ESTABILIDADE SOCIAL Neoliberalismo temerista é uma temeridade total para a segurança nacional, de acordo com conceito de segurança dos militares brasileiros

Os americanos, como se sabem, negam tudo o que os militares nacionalistas brasileiros  estão construindo em favor da política de defesa, percebida como projeto da sociedade consciente da necessidade de desenvolvimento nacionalista.

A prioridade de Temer pelo modelo econômico neoliberal, focado, exclusivamente, em ajuste fiscal, que até o FMI passou a criticar, lança profundas dúvidas no meio militar.

O neoliberalismo temerista, que:

 1 – desconstitucionaliza conquistas sociais;

2 – destrói direitos trabalhistas;

3 – amplia desvinculação de verbas orçamentárias destinadas à educação e saúde, para pagar juros da dívida pública;

 4 – tira dinheiro de banco de desenvolvimento, como do BNDES, para ser esterilizado no caixa do Tesouro, também, para pagar juros da dívida aos banqueiros;

5 – desloca recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador(FAT), para o mesmo objetivo, ou seja, engordar os sanguessugas que faturam desmesuradamente na taxa de juro especulativa, enquanto é pregada austeridade contra os assalariados;

6 – amplia privatizações do setor de petróleo, desnacionalizando o pré sal, para atender demandas das petroleiras internacionais;

7 – esvazia a geopolítica brasileira de aproximação com os BRICs, para atender pressões de Washington;

8 – acaba com abono salarial, para fazer ajuste fiscal;

9 – amesquinha política social(Mais Médicos, Minha Casa Minha Vida, Bolsa Família, Farmácia Popular etc) e;

10 – põe em risco políticas promotoras de diversidade cultural, ampliando participação e democratização dos mais pobres, com acesso às universidades etc, e;

11 – Tenta afastar o Brasil dos BRICs(Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), como força alternativa à geopolítica de Tio Sam, que se transformou, depois da crise global de 2008, em favor de segurança internacional – ou seja, tudo isso contribui, no entendimento da política de defesa nacional, para aumentar a insegurança social e, consequentemente, a instabilidade política.

O governo Temer, com seu carrossel de medidas de austeridade neoliberal antipopular que acaba com poder de compra dos trabalhadores, diminuindo renda disponível para o consumo, deprimindo as forças produtivas, enquanto não se faz nada contra o processo de sobreacumulação especulativa da renda nacional, para atender reivindicações dos bancos, da Febraban, que tomou conta do Banco Central, para fazer a política da agiotagem contra a sociedade etc, eis o que apavora, no momento, os comandantes das forças armadas.

A austeridade neoliberal – para os ricos, tudo, para os pobres, pau – acelera providências que aumentam extraordinariamente a instabilidade social e a insegurança pública e política.

Vai o jogo do ajuste fiscal austero, bancocrático, na linha contrária propugnada pelos projetos nacionalistas dos militares, como alternativa de desenvolvimento nacional sustentável.

O golpe político em marcha, mundialmente, condenado, tocado por forças antinacionais golpista, visa sobretudo derrubar a caminhada desenvolvimentista nacionalista.

Por isso, o governo Temer, do ponto de vista das Forças Armadas, vai se transformando, aceleradamente, em grande fator de insegurança nacional.

30 pensamentos sobre “Temer neoliberal incomoda os militares

  1. TODOS SABEM DA SUJEIRA DESSE VERME, FAZENDO JIGUINHO DESSES DESGRAÇADOS BANQUEIROS VERDADEIROS VAMPIROS SUGANDO O SANGUE E A VIDA DOS TRABALHADORES BRASILEIROS E AINDA TERMINANDO DE ACABAR COM O PAIS COM ESSE LIXO ZE MOSQUITO SERRA DA DENGUE QUERENDO ENTREGAR NOSSO PRE SAL E A PETROBRAS PRA ENCHER O RABO COM DINHEIRO NOSSO COMO FEX FHC E NUNGUEM FEZ PORRA NENHUM SE ELES ESTÃO PREOCUPADOS PORQUE NÃO TOMAM UMA PROVIDENCIA

  2. Estranho esse artigo, porque os militares parecem mais estar dormindo, porque o juiz Sérgio Moro deu uma multa de quase 7 bilhões na Odebrecht, que vai falir a empresa, vai deixar milhares de trabalhadores sem emprego e vai inviabilizar os projetos de construção do submarino nuclear, dos aviões caça, da fibra ótica, etc. e vários projetos estratégicos de segurança nacional e, até agora, os militares não se manifestaram para nada! Essa Lava jato que parece mais uma lava lento! Parou o Brasil desde 2014! sendo que o único objetivo são os vazamentos seletivos contra a sombra do PT?

  3. ESTE ARTIGO TEM MUITAS CONTRADIÇÕES. Se os comandantes das três forças armadas estão incomodados com o governo Temer, porque não manifestam publicamente suas opiniões, principalmente em relação aos seguintes pontos:

    1. Ameaça à soberania nacional pela implementação de uma política externa entreguista comandada por José Serra?

    2. Recriação do Gabinete de Segurança Nacional (GSI), comandado pelo General Sérgio Etchegoyen, que está mais preocupado com o monitoramento dos movimentos sociais do que com a defesa da nossa Constituição e do nosso território nacional.

    Além disso, o general que quer destruir os trabalhos da Comissão da Verdade, se apoderou da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), visando ressuscitar o famigerado Serviço Nacional de Informações (SNI) e sepultado conceito de “segurança nacional” dos tempos da ditadura militar.

    3. Os três comandantes vivem repetindo que evoluíram e tem uma nova visão de garantir o cumprimento da Constituição. A que Constituição eles se referem, que vem sendo rasgada diariamente pelo governo golpista de Temer? Ou eles acham que estamos vivendo numa normalidade democrática, com todas instituições cumprindo seu papel constitucional?

    4. Existem várias mobilizações de vários oficiais militares, resquícios da linha dura, principalmente no exército, pregando a tomada do poder e falando abertamente que estão preparados para uma guerra civil. Isso eu já li em diversos blogs militares e talvez, já existam “paramilitares” organizados.

    ESTÃO SE ENGANANDO OU QUEREM NOS ENGANAR?

  4. ESTA MATÉRIA TEM MUITAS DIVAGAÇÕES E CONTRADIÇÕES. Se os comandantes das três forças armadas estão incomodados com o governo Temer, porque não manifestam publicamente suas opiniões, principalmente em relação aos seguintes pontos:

    1. Ameaça à soberania nacional pela implementação de uma política externa entreguista comandada por José Serra?

    2. Recriação do Gabinete de Segurança Nacional (GSI), comandado pelo General Sérgio Etchegoyen, que está mais preocupado com o monitoramento dos movimentos sociais do que com a defesa da nossa Constituição e do nosso território nacional.

    Além disso, o general que quer destruir os trabalhos da Comissão da Verdade, se apoderou da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), visando ressuscitar o famigerado Serviço Nacional de Informações (SNI) e sepultado conceito de “segurança nacional” dos tempos da ditadura militar.

    3. Os três comandantes vivem repetindo que evoluíram e tem uma nova visão de garantir o cumprimento da Constituição. A que Constituição eles se referem, que vem sendo rasgada diariamente pelo governo golpista de Temer? Ou eles acham que estamos vivendo numa normalidade
    democrática, com todas instituições cumprindo seu papel constitucional?

    4. Existem vários grupos de oficiais militares, principalmente do Exército, representantes dos resquícios da ditadura, que estão pregando abertamente a tomada do poder, inclusive se dizem preparados para uma possível guerra civil. Por que os três altos comandantes não adotam medidas punitivas exemplares para estes “agitadores” que são seus subalternos?

    Será que já não formaram grupos paramilitares? Confiram o site Forças Especiais Brasileiras – FESBR e outros inúmeros blogs militares que inclusive criticam o alto comando.

    OS COMANDANTES DAS FORÇAS ARMADAS ESTÃO SE ENGANANDO OU QUERENDO NOS ENGANAR?

  5. ESTA MATÉRIA TEM MUITAS DIVAGAÇÕES E CONTRADIÇÕES. Se os comandantes das três forças armadas estão incomodados com o governo Temer, porque não manifestam publicamente suas opiniões, principalmente em relação aos seguintes pontos:

    1. Ameaça à soberania nacional pela implementação de uma política externa entreguista comandada por José Serra?

    2. Recriação do Gabinete de Segurança Nacional (GSI), comandado pelo General Sérgio Etchegoyen, que está mais preocupado com o monitoramento dos movimentos sociais do que com a defesa da nossa Constituição e do nosso território nacional.

    Além disso, o general que quer destruir os trabalhos da Comissão da Verdade, se apoderou da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), visando ressuscitar o famigerado Serviço Nacional de Informações (SNI) e sepultado conceito de “segurança nacional” dos tempos da ditadura militar.

    3. Os três comandantes vivem repetindo que evoluíram e tem uma nova visão de garantir o cumprimento da Constituição. A que Constituição eles se referem, que vem sendo rasgada diariamente pelo governo golpista de Temer? Ou eles acham que estamos vivendo numa normalidade democrática, com todas instituições cumprindo seu papel constitucional?

    4. Existem vários grupos de oficiais militares, principalmente do Exército, representantes dos resquícios da ditadura, que estão pregando abertamente a tomada do poder, inclusive se dizem preparados para uma possível guerra civil. Por que os três altos comandantes não adotam medidas punitivas exemplares para estes “agitadores” que são seus subalternos?

    Será que já não formaram grupos paramilitares? Confiram o site Forças Especiais Brasileiras – FESBR e outros inúmeros blogs militares que inclusive criticam o alto comando.

    OS COMANDANTES DAS FORÇAS ARMADAS ESTÃO SE ENGANANDO OU QUERENDO NOS ENGANAR?

  6. ESTA MATÉRIA TEM MUITAS DIVAGAÇÕES E CONTRADIÇÕES.
    Se os comandantes das três forças armadas estão incomodados com o governo Temer, porque não manifestam publicamente suas opiniões, principalmente em relação aos seguintes pontos:

    1. Ameaça à soberania nacional pela implementação de uma política externa entreguista comandada por José Serra?

    2. Recriação do Gabinete de Segurança Nacional (GSI), comandado pelo General Sérgio Etchegoyen, que está mais preocupado com o monitoramento dos movimentos sociais do que com a defesa da nossa Constituição e do nosso território nacional.

    Além disso, o general que quer destruir os trabalhos da Comissão da Verdade, se apoderou da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), visando ressuscitar o famigerado Serviço Nacional de Informações (SNI) e sepultado conceito de “segurança nacional” dos tempos da ditadura militar.

    3. Os três comandantes vivem repetindo que evoluíram e tem uma nova visão de garantir o cumprimento da Constituição. A que Constituição eles se referem, que vem sendo rasgada diariamente pelo governo golpista de Temer? Ou eles acham que estamos vivendo numa normalidade democrática, com todas instituições cumprindo seu papel constitucional?

    4. Existem vários grupos de oficiais militares, principalmente do Exército, representantes dos resquícios da ditadura, que estão pregando abertamente a tomada do poder, inclusive se dizem preparados para uma possível guerra civil. Por que os três altos comandantes não adotam medidas punitivas exemplares para estes “agitadores” que são seus subalternos?

    Será que já não formaram grupos paramilitares? Confiram o site Forças Especiais Brasileiras – FESBR e outros inúmeros blogs militares que inclusive criticam o alto comando.

    OS COMANDANTES DAS FORÇAS ARMADAS ESTÃO SE ENGANANDO OU QUERENDO NOS ENGANAR?

  7. ESTA MATÉRIA TEM MUITAS DIVAGAÇÕES E CONTRADIÇÕES. Se os comandantes das três forças armadas estão incomodados com o governo Temer, porque não manifestam publicamente suas opiniões, principalmente em relação aos seguintes pontos:

    1. Ameaça à soberania nacional pela implementação de uma política externa entreguista comandada por José Serra?

    2. Recriação do Gabinete de Segurança Nacional (GSI), comandado pelo General Sérgio Etchegoyen, que está mais preocupado com o monitoramento dos movimentos sociais do que com a defesa da nossa Constituição e do nosso território nacional.

    Além disso, o general que quer destruir os trabalhos da Comissão da Verdade, se apoderou da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), visando ressuscitar o famigerado Serviço Nacional de Informações (SNI) e sepultado conceito de “segurança nacional” dos tempos da ditadura militar.

    3. Os três comandantes vivem repetindo que evoluíram e tem uma nova visão de garantir o cumprimento da Constituição. A que Constituição eles se referem, que vem sendo rasgada diariamente pelo governo golpista de Temer? Ou eles acham que estamos vivendo numa normalidade democrática, com todas instituições cumprindo seu papel constitucional?

    4. Existem vários grupos de oficiais militares, principalmente do Exército, representantes dos resquícios da ditadura, que estão pregando abertamente a tomada do poder, inclusive se dizem preparados para uma possível guerra civil. Por que os três altos comandantes não adotam medidas punitivas exemplares para estes “agitadores” que são seus subalternos?

    Será que já não formaram grupos paramilitares? Confiram o site Forças Especiais Brasileiras – FESBR e outros inúmeros blogs militares que inclusive criticam o alto comando.

    OS COMANDANTES DAS FORÇAS ARMADAS ESTÃO SE ENGANANDO OU QUERENDO NOS ENGANAR?

  8. corruptos com a chave do cofre, Cartel comprometidos com capitalismo estrangeiro ate p livrar a propria pele e continuarem no poder, o Brasil esta em um caminho sem volta, o PT tb desandou, as forças armadas precisa encarrilar este trem….

  9. É claro que desagrada.

    A paz social é uma conquista. Se constrói com democracia, inclusão e justiça social, respeito ao cidadão, às leis e as instituições.
    Não com concentração de renda nas mãos de poucos, exclusão, corte de direitos sociais e desmonte do estado, transferindo bens públicos para as mãos de particulares. Isso gera miséria e não riqueza para o país como tentam fazer crer.
    São milhões de miseráveis para produzir um milionário. Em caso de instabilidade que conduza a conflitos, sobrará para os militares. Eles sabem, não querem e não precisam disso. Prezam pela paz social.

    Sabem que com esse mesmo discurso hipócrita, os grandes corruptos já deram um GOLPE igual esse. Roubaram muito, enriqueceram nas sombras, aniquilaram o país que foi parar no FMI. O ônus maior dos anos de chumbo ficou mesmo na conta das Forças Armadas, que a rigor não roubavam do país , mas não tinham a astúcia dos GOLPISTAS. Militar é treinado
    Treinado para defender a soberania nacional e a ordem social. Isso eles fizeram como sabiam. Os malandros civis com o Know-how empresarial e politico, tiraram todo o proveito do país, do povo e também dos militares. Não creio que os atuais GOLPISTAS consigam usar os militares como fizeram no passado. Se tem alguns destemperados com veia fascista envergonhado a classe, certamente não é a maioria. Principalmente nas forças federais. Hoje são altamente qualificados e ninguém pode duvidar do patriotismo deles. Eles não servirão de jagunços do GOLPE como querem os GOLPISTAS.

  10. O Jucá já disse que os militares estavam com eles. Gostaria muito de crer no nacionalismo dos militares, mas do mesmo jeito que foram submissos aos interesses americanos em 64 parece que continuam. É uma questão de juramento maçônico… quem o faz, não pertence mais a si e muito menos a seu país.

  11. A matéria não diz que os militares estão contra o Temer – a matéria nas entrelinhas alerta que a formação dos atuais militares não é a mesma daqueles velhos generais de 64 – há sim, uma preocupação com a ordem interna, e isso pode levar os de farda a tomarem uma atitude que até eu entendo que nem lhes interessava mais..

  12. Os ataques promovidos pela própria esquerda às Forças Armadas não levam em consideração que na maior parte de nossa história elas, principalmente o Exercício, estiveram à esquerda dos governos federais. Até a contaminação pelos interesses americanos no pós-guerra pode ser entendida no contexto das restrições da Guerra Fria. Apesar da grande decepção com os sucessivos lapsos constitucionais do STJ, é sempre bom lembrar que, caso recobre o bom senso, ele pode se apoiar no nacionalismo dos militares contra as interferência americana articulada pela FIESP e Rede Globo.

  13. Os ataques promovidos pela própria esquerda às Forças Armadas não levam em consideração que na maior parte de nossa história elas, principalmente o Exercício, estiveram à esquerda dos governos federais. Até a contaminação pelos interesses americanos no pós-guerra pode ser entendida no contexto das restrições da Guerra Fria. Apesar da grande decepção com os sucessivos lapsos constitucionais do STF, é sempre bom lembrar que, caso recobre o bom senso, ele pode se apoiar no nacionalismo dos militares contra as interferência americana articulada pela FIESP e Rede Globo.

  14. Então, devolvam à Dilma o Presidencialismo antes que eles vendam a Petrobras, que tem matéria prima estratégica para o Brasil, além de nos deixar independente em relação a qualquer econômia estrangeira.

  15. Não quero crer que as Forças Armadas do Brasil composta por pessoal treinados, portanto, preparados para a defesa da nossa soberania e integridade territorial e patrimonial, possam estar vacilantes diante do entreguismo vigente, comandados pelo interesse internacional, cujo interesse maior baseia-se, no que resta de nossas riquezas, em especial, o nosso petróleo e o desmanche, desmantelamento da Petrobras, intento iniciado no período do famigerado FHC. Os ingênuos e inocentes brasileiros aculturados pela Veja e TV Globo, sabem o verdadeiro significado de termos uma empresa como a Petrobras? Acho que não. Sabem o quanto a Petrobras gerou e pode gerar de desenvolvimento ao País? /sabem o quanto custou em Bilhões a descoberta do Pre-sal? Quanto há investido no acervo da Petrobras? O que ela representa como valor estratégico para nossa economia? Esta empresa custou sangue suor e lágrimas para sua edificação e esses maus brasileiros não cogitam o significado do seu desmonte ou queiram desmonta-la, assim como iniciou o “Neo Liberal” FHC, tudo coadjuvado por essa massa idiotizada pelo poder midiático.
    Portanto, como brasileiro, não concebo e, nem quero, assistir, a passividade das Forças Armadas em permitir, em deixar, tramitar a destruição de nossas riquezas (que nos resta), visto que isto representa graves e sérias consequências de ordem institucional sem contar com AS possíveis instabilidades sociais.
    AVANTE BRASIL,
    BRASIL ACIMA DE TUDO .

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s