Porto Alegre/Rio Grande do Sul

Nagelstein e o perigoso flerte de parcela dos gaúchos com o fascismo

MBL NAGELSTEIN

Ataques a grupos políticos de esquerda são a tônica do Vereador 

Para muitos, o fascismo e o nazismo são coisas do Século passado. Não são. Eles estão bem vivos e se alimentam da insegurança, do medo, do ódio e da consequente violência que advém a estes males. O Rio Grande do Sul avança perigosamente numa “senda” que leva ao fascismo. A Força Policial do Estado é usada despudoradamente para impingir o medo à todos que brigam por direitos. Um Deputado no exercício de sua função parlamentar foi agredido, algemado e preso. Algo que nem na época da ditadura militar acontecia. E nada acontece com o comando da Brigada Militar,  e muito menos com os soldados que fizeram esta agressão. O sinal é claro: Se pode fazer isto com um Deputado, pode fazer com qualquer um. Nestes dias também, milicianos do MBL agrediram Servidores Municipais que se mobilizavam por temas inerentes a categoria profissional. A coisa foi tão violenta, que dois milicianos chegaram a ser presos, logo depois foram soltos. E após a soltura, o Prefeito Marchezan os recebeu com pompa e circunstância no Prefeitura Municipal, concedendo-lhes inclusive uma “entrevista exclusiva”, demostrando com isto apoio do alcaide ao grupo e aos métodos do fascista MBL. O Prefeito continua no seu negaceio com o fascismo, ao emitir nas redes sociais um “decreto” que entre outras formas de preconceito, emite opinião taxando o PT e os partidos de esquerda de “Quadrilhas”.

Nem uma semana se passa, e um Vereador entra numa repartição e agride a tapas um servidor municipal  em frente a colegas de trabalho, com o objetivo de humilhá-lo.

Nagelstein Quando vamos ver a razão da agressão, uma postagem nas redes sociais, vemos claramente que taxar o referido vereador de fascista, não é só “pejorativo”, pois o mesmo, assim como o fascista MBL enxergam o “comunismo” em toda parte. O fascismo e o nazismo são parte de um delírio coletivo que começa com a doença de uns poucos, mas contagia uma sociedade inteira, quando esta sociedade é gerida ladrões e corruptos que não querem nem saber da maioria da população, embora se utilizem dela para se eleger e locupletar.

Não foi só mais uma agressão. Foi uma de várias, cometidas por diferentes agentes de diferentes hierarquias do Estado contra cidadãos, por suas opiniões. A agressão contra o Deputado, responsabilidade direta do comandante m chefe da Brigada Militar, o Governador do Estado, esta impune. Nada foi feito. Milicianos fascistas agrediram Servidores municipais em mobilizações da categoria profissional e saem impunes. Agora um Vereador entra numa repartição, agride um servidor e…sairá também impune? A democracia agoniza no Brasil, nas mãos de corruptos que tomaram de assalto o poder. Parece que a “mui leal e valerosa” cidade de Porto Alegre e o RS querem contribuir de forma contundente com o desmonte definitivo da nossa precária democracia. Ou não?

 

Segue artigo do SIMPA – Sindicato dos Municipários de Porto Alegre sobre a agressão:

 

Presidente em exercício da Câmara de Vereadores, Valter Nagelstein, agrediu fisicamente um servidor municipal no seu local de trabalho. 

 

Os municipários foram surpreendidos, na tarde de hoje (7/7), ao receber a notícia de que o servidor Augusto Marchand, da Secretaria Municipal de Urbanismo (SMURB), foi agredido pelo vereador Valter Nagelstein (PMDB). De acordo com o assistente administrativo, o vereador entrou no seu local de trabalho, em horário de funcionamento, e o agrediu com três tapas no rosto, na frente dos seus colegas. Augusto já registrou Boletim de Ocorrência e exame de corpo de delito, junto com a assessoria jurídica do SIMPA e a diretora-geral Luciane Pereira da Silva. Os municipários e o SIMPA repudiam a atitude violenta do vereador.

No início da tarde, Augusto comentou uma publicação no Facebook de Valter Nagelstein ofensiva aos servidores públicos. Os funcionários da SMURB imprimiram a postagem e colaram nos prédios da secretaria. Ao saber disso, o vereador respondeu com nova publicação se dirigindo aos trabalhadores de forma desqualificadora. Augusto comentou novamente na página, questionado os princípios éticos de Nagesltein, que, enfurecido, foi até a secretaria e cometeu a agressão. “Estamos vivendo uma fase de ataques, inclusive físicos”, lamenta o servidor. Ele lembra que o vereador foi secretário da SMURB, em 2015/2016.

SOLIDARIEDADE

O SIMPA chama a categoria municipária para um ato em solidariedade ao servidor agredido, na segunda-feira (10/7), ao meio dia, em frente à SMURB (Av. Borges de Medeiros, 2244).

5 pensamentos sobre “Nagelstein e o perigoso flerte de parcela dos gaúchos com o fascismo

  1. Pingback: Nagelstein e o perigoso flerte de parcela dos gaúchos com o fascismo | Luíz Müller Blog | BRASIL S.A

  2. Acho que se tivesse acontecido o contrário, o servidor estaria preso e respondendo a inquérito administrativo. No governo municipal vemos, com pesar, um moço despreparado, autoritário e que se desmoralizar dia a dia chefiando secretários desrespeitados e igualne te despreparado para a função. É o tal banco de talentos? São estas pessoas que o prefeito escolheu? Se for, este banco está quebrado. Pobre Porto que já foi Alegre.

    Curtir

  3. O fascismo é o fim do estado de direito. É o estado sem lei, só gerido pela autoridade de plantão. Isso é o início do fim da sociedade civilizada.
    O grande problema é que nossa população não percebe esse perigo, é, como dito, flerta perigosamente com ele, o fascismo.
    Precisamos acordar deste sonho perigoso.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s