Brasil

CHEFE DO EXÉRCITO DESCARTA PUNIÇÃO A MOURÃO E ADMITE INTERVENÇÃO CONTRA O CAOS

Agência Senado | Reprodução | Agência Brasil

Comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, disse que o general Antonio Hamilton Mourão, que admitiu a possibilidade de uma intervenção militar no país em função da crise institucional e política, não será punido; comandante também declarou que a possibilidade de uma intervenção “ocorre permanentemente” e que e “as Forças Armadas têm mandato para fazer [uma intervenção militar] na iminência de um caos”; afirmação segue a linha do discurso defendido por Mourão, que disse que o Exército tem “planejamentos muito bem feitos” sobre o assunto; declaração também desautoriza o ministro da Defesa, Raul Jungmann, que havia pedido explicações e cobrado “medidas cabíveis a serem tomadas” contra Mourão

Brasil 247 – O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, disse que o general Antonio Hamilton Mourão, que admitiu a possibilidade de uma intervenção militar no país em função da crise institucional e política, não será punido. O comandante também declarou que a possibilidade de uma intervenção “ocorre permanentemente” e que e “as Forças Armadas têm mandato para fazer [uma intervenção militar] na iminência de um caos”. Afirmação segue a linha do discurso defendido por Mourão, que disse que o Exército tem “planejamentos muito bem feitos” sobre o assunto.

Na última segunda-feira (18), o ministro da Defesa, Raul Jungmann, havia pedido explicações e cobrado “medidas cabíveis a serem tomadas” contra o general Mourão por suas declarações defendendo um golpe militar. Segundo o comandante, Mourão, é “um grande soldado, uma figura fantástica, um gauchão”.

Nesta terça-feira (19), em entrevista ao jornalista Pedro Bial, Villas Boas afirmou que Mourão não desrespeitou a legislação que proíbe oficias da ativa se posicionarem em relação ao quadro político-partidário nacional. Ele também defendeu a fala do subordinado.

“Se você recorrer ao que está na Constituição, no artigo 142, como atribuição das Forças Armadas, diz que as Forças podem ser empregadas na garantia da lei e da ordem por iniciativa de um dos poderes”, disse o comandante do Exército na entrevista.

“O texto diz que o Exército se destina à defesa da pátria e das instituições. Essa defesa poderá ocorrer por iniciativa de um dos poderes, ou na iminência de um caos. As Forças Armadas têm mandato para fazer”, completou.

Comentário do Blogueiro: Imagina o Congresso eivado de corruptos convocando as Forças Armadas. Ou então o Temer, Chefe da quadrilha convocando as Forças armadas, ou pior ainda, o STF, eivado de interesses corporativos e outros não explícitos, que autorizaram o Golpe contra a democracia. Ou seria a instalação do caos, por que estamos  com uma população totalmente descrente de todas as instituições, em especial da política? Os fascistas já agem para gerar as condições do caos ou imporem o seu pensamento. Ou o que seriam os ataques de milicias e até de juízes e procuradores a obras de arte, peças de teatro, ataques violentos a terreiros de religião afro e que se ampliam cada vez mais Brasil afora? Acorda Brasil. Ou levantamos agora a barreira ao fascismo ou a onda nos engolirá.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s