Uncategorized

Movimentos Sociais se mobilizam contra a entrega da Base de Alcântara e a violação absurda da soberania nacional

A Base de Alcântara é uma joia tecnológica, fruto de anos de pesquisa e luta de cientistas sonhadores, que foram todos mortos em um “acidente” muito mau explicado e quase não investigado. Inclusive, há muita especulação sobre possível sabotagem ocorrida no governo Fernando Henrique Cardoso. Essa tese toma novos contornos agora, quando o acordo que Temer quer firmar com os americanos tem as mesmas cláusulas que o acordo que FHC tentou firmar no início dos anos 2000.

Leia Também:   Temer governa arbitrariamente por Medidas Provisórias, assim como ditadores por decreto.

Em 2001, no último ano do governo FHC, o acordo previa a total impossibilidade de acesso a qualquer tecnologia americana utilizada na base. Incluía também, o sigilo de qualquer conteúdo lançado. Ou seja, o Brasil nem saberia o que estaria sendo lançado dentro de sua base e de seu território. É uma completa violação da soberania nacional. Para piorar, a NASA teria acesso a todas as tecnologias de lançamento desenvolvidas pelo programa espacial brasileiro.

A base de Alcântara é cobiçada por todo o mundo que tem acesso a envio de foguetes, dada a sua posição estratégica. Estando na linha equatorial do planeta, o consumo de combustível chega a 30% menos, para envios ao espaço, fato que torna o lançamento em terras brasileiras milhões de dólares mais barato.

Leia Também:   Dilma vai pedir anulação do impeachment com base na delação de Funaro: Leia a nota.

O Coronel Aviador Ronaldo Carmona, que também é pesquisador da USP, denúncia:

“Se os termos forem semelhantes realmente será inadmissível a aceitação dessa proposta. O acordo de 2001 era profundamente lesivo a soberania nacional. Nenhum país que preza sua soberania, permitirá que um país estrangeiro coloque qualquer tipo de artefato do qual ele não conheça minimamente o conteúdo”, denunciou.

 “Os EUA sempre manobraram no sentido de diminuir a capacidade estratégica do Brasil de ser um país que tivesse maior autonomia e condição de se afirmar como uma potência entre as nações”, diz Carmona.

Por isso, o Movimentos dos Sem Terra (MST) se uniu aos pesquisadores e cientistas da base de Alcântara em protesto contra essa violação absurda da soberania nacional. O primeiro protesto ocorreu no dia 11 de outubro e já são organizados outros mais.

Do A POSTAGEM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s