política/Porto Alegre

“Onde há fumaça, há fogo”: Sobre os movimentos de Melo e do PMDB

Melo diz ter  rejeita possível aproximação com Marchezan mas…”peemedebistas da velha guarda articulam uma aproximação do partido com o prefeito de Porto Alegre”.

Quando este blogueiro disse que havia movimentos para a entrada do PMDB no Governo do Alcaide Marchezan, teve gente criticando. O artigo “SEBASTIÃO MELO SERÁ O SECRETÁRIO DE GOVERNO DE MARCHEZAN JÚNIOR. SÉRIO MESMO?”  era de questionamento e perguntava se Melo iria. Não vai. Mas o PMDB vai. E a troca é o apoio do tucanato a Sartori para Governo do Estado. Este é o PMDB dos vendilhões Padilha, Perondi, Cecchin,  Zachia (lembram dele?) e toda uma trupe que não consegue viver sem chupar  até o sangue da Prefeitura, do Estado e da União. Não importa que o povo sofra. Importa é que os peemedebistas tenham cargos. Mas o que dizer de quem esta destruindo a nação inteira, por que quis avançar sobre os cargos do Governo Federal e deu um golpe? Agora vão dar outro golpe no povo da “mui leal e valerosa” Porto Alegre.  Resta saber se Sebastião Melo fará só uma declaração e ficará com a turma tucana do PMDB ou tomará outro rumo de fato, para além das declarações. A ver!

Vai matéria do Correio do Povo:

Melo rejeita possível aproximação com Marchezan | Foto: Mauro Schaefer / CP Memória

Melo rejeita possível aproximação com Marchezan | Foto: Mauro Schaefer / CP Memór

 

Com informações de Lucas Rivas e Flavia Bemfica

O candidato derrotado do PMDB a prefeitura de Porto Alegre, Sebastião Melo, rechaçou qualquer aproximação com a administração de Nelson Marchezan. Melo disse que “não foi convidado e, se fosse, não iria em nenhum encontro para tratar desse tema”. “Posso afirmar que, se o partido reunir-se para tratar dessa matéria, me posicionarei contrariamente, pois o projeto que liderei na eleição passada não representa o que hoje está acontecendo na cidade. A maior herança que meu pai me deixou foi vergonha na cara”, afirmou em nota.

Um grupo de peemedebistas da velha guarda articula uma aproximação do partido com o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB). O grupo é formado pelo deputado estadual Ibsen Pinheiro, pelo federal José Fogaça, pelo presidente do diretório metropolitano, Antenor Ferrari, e o vereador Idenir Cecchim, além de Luis Roberto Ponte e do diretor administrativo-financeiro da Ceitec, Luiz Fernando Záchia.

As tratativas são para que pelo menos a maioria dos vereadores do PMDB passe a integrar a base de apoio a Marchezan no Legislativo, além de deter oficialmente cargos no governo (hoje três dos cinco integrantes da bancada municipal já possuem indicados na administração municipal). Se tudo der certo, a oficialização da aliança na Capital se dará com a nomeação de Cecchim para o comando da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico. Em troca, o PSDB, que Marchezan preside no Estado, não lança o ex-prefeito de Pelotas, Eduardo Leite, ao governo do Estado em 2018, deixando o caminho mais fácil para que o governador José Ivo Sartori (PMDB) tente a reeleição.

Nessa sexta, Melo publicou uma postagem no Facebook para descartar qualquer possibilidade de aproximação. A manifestação ocorreu, segundo ele, em virtude de “diversos boatos correndo pelas redes sociais”.

https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2FMeloSebastiao%2Fposts%2F1577922452268480&width=500

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s