Cultura/Fascismo

Nazismo chocado pelo sionismo guasca: Lasier apresenta projeto proibindo obras que “atentem contra a moral”

O Nazismo as claras esta nas páginas da ZH: Segundo o Senador, as verbas NÃO devem ser destinadas a obras que “provoquem polêmica” ou senso crítico na população. Dito assim, na cara dura, e divulgado pela RBS, de propriedade dos judeus gaudérios. Para Lasier e sua patroa, a RBS, bom mesmo são as obras de arte que não provoquem polêmica e não fazem pensar. Mas então. Este blogueiro não se desdobrará em artigo sobre o fascismo e o nazismo. É só clicar neste link aqui e saber. Mas clica, senão daqui a pouco até tu que estas lendo isto, achará que “moral e bons costumes” fazem bem.  Pra bom entendedor, compreenderá do que este humilde blogueiro fala.

A matéria seguir é da tal Gaúcha/Zero Hora, este troço frankenstein que a RBS fez pra ver se sobrevive depois da perda de credibilidade, leitores e ouvintes.

Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) realizará uma audiência pública para ouvir produtores culturais e artistas sobre o projeto

lasier-ana-amc3a9lia

A RBS tem dois Senadores: Uma defende chicotear estudantes e bater em mulheres que participem de manifestações políticas e o outro quer acabar com espetáculos que gerem polêmica. O fascismo chocado na chocadeira sionista.

Inspirado pelas polêmicas envolvendo a Queermuseu e a performance de um homem nu no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), o senador Lasier Martins (PSD-RS) apresentou no final de setembro do ano passado o Projeto de Lei do Senado (PLS) 367/2017, visando proibir de ter acesso aos benefícios da Lei Rouanet obras que “pratiquem crimes ou atentem contra a moral pública”.

Em entrevista à Rádio Senado, o senador afirmou que apoia a Lei Rouanet, mas quer que os recursos sejam destinados a projetos que enriqueçam a cultura e tenham um sentido construtivo.

– A verba deve se destinar a projetos que não despertem polêmicas, que tenham um sentido humanitário e edificante. A lei deve ser canalizada para projetos positivos e indiscutíveis – opina.

A proposta de Lasier também modificaria o Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), instituído pela Lei Rouanet, e proíbe a concessão do incentivo fiscal a projetos que possuam viabilidade comercial. No entanto, o texto abre a possibilidade de que os recursos sejam empregados em projetos culturais com viabilidade comercial, desde que seja na forma de financiamentos reembolsáveis.

O projeto de Lasier foi encaminhado à  Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e recebeu o apoio do relator, senador José Medeiros (Pode-MT). A proposta estava na pauta da reunião na última terça-feira (3), mas teve sua votação adiada.  A Comissão realizará uma audiência pública para ouvir produtores culturais e artistas sobre o projeto. A audiência, ainda a ser agendada, foi proposta pela senadora Lídice da Mata (PSB-BA), crítica do projeto.

— O que é que define o que é moral e o que não é? Esse projeto é uma grave ameaça para o retorno da censura no Brasil – advertiu Lídice.

Para o debate, serão convidados representantes dos ministérios da Cultura e da Justiça, além de produtores culturais como Paula Lavigne,  que está a frente da campanha  #342 artes — Contra a censura e a difamação, e o curador da mostra Queermuseu, Gaudêncio Fidélis.

* Com informações da Agência Senado

7 pensamentos sobre “Nazismo chocado pelo sionismo guasca: Lasier apresenta projeto proibindo obras que “atentem contra a moral”

  1. O que importa é que são sionistas, não a sua religião. O problema é que eles apoiam as políticas de apartheid e limpeza étnica do Estado de Israel. Não é um conflito religioso.
    Abraço

    Curtir

    • Claro. Mas o Sionismo esta umbilicalmente ligado a elite e ao conservadorismo judeu. Tem que mostrar isto didaticamente. O Estado de Israel nasceu em cima de narrativa bíblica. O Estado Israeli é por si só o provocador de conflito por origem religiosa que tem. E por mais que minorias dentro daquele Estado tentem fazer crer que há resistência, esta “resistência” não faz nada além de discursos contra o genocídio e o avanço do Estado de Israel sobre o que ainda resta de terras palestinas.

      Curtir

    • Não acho nada dos judeus. Assim como não acho nada de muçulmanos, cristãos e outros. O sectarismo no entanto é pernicicioso. E o sionismo ê a sectarização e politização do que deveria ser apenas religião. Assim como o são o EI e outros que tais.

      Curtir

  2. Estou com o Daniel Zimmermann, vamos nos encontrar e aí tu me fala mais o que tu achas dos Judeus? Pois esta tua resposta mostra o quanto tu não sabe sobre o que tu escreve.

    Curtir

    • Eu sei sobre o que eu escrevo. Que tal vocês escreverem aqui neste espaço democrático ao invés de chamar para estranhos encontros individuais com quem eu nem conheço pessoalmente? Escrevam. Fiquem a vontade. Como veem, o Blog é democrático e aberto ao debate.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: